diario as beiras
opiniao

Opinião: Abril todo o ano em Bruxelas

23 de maio às 10h06
0 comentário(s)

O 25 de Abril este ano faz 50 anos e a comunidade Portuguesa na Bélgica faz questão de assinalar esta data histórica de maneira memorável. Mais do que noutros anos, várias são as iniciativas que decorrem ainda, especialmente em Bruxelas.
Parece que o desolante resultado das últimas eleições, com uma subida chocante da extrema direita, fez com que os portugueses na Bélgica reagissem, não deixando cair no esquecimento as conquistas de Abril, a liberdade, a democracia, os direitos das mulheres,…

Para além de várias cerimónias mais formais, numa das “juntas de freguesia” mais populada por portugueses decorreu um concerto de músicas de Abril no feminino, com a presença dos mais altos representantes lusos. Na Universidade Livre de Bruxelas aconteceu também uma sessão de poesia e música da revolução, organizada pelo Instituto Camões. Ainda a decorrer estão algumas exposições, maioritariamente em escolas e instituições de ensino superior – até os belgas sabem que esta foi “uma revolução bonita com flores em vez de armas”, a descrição que ouço mais frequentemente.

Para a semana há ainda uma peça de teatro feita por jovens luso-descendentes com idades entre os 14 e os 18 anos, baseada em depoimentos de cidadãos nacionais que se encontravam exilados na Bélgica em 1974. O espectáculo é encenado pelo luso-belga Helder Wasterlain, também de Coimbra.

Mais para o final do ano, prepara-se um espectáculo de música e poesia de Abril, com artistas portugueses residentes na Bélgica. Enfim, manifestações diversas para não deixar Abril cair em esquecimento, uma forma de luta cultural contra as tendências populistas a que temos assistido nos últimos tempos. Cada um luta com as armas que tem!

Autoria de:

Catarina Moleiro

Deixe o seu Comentário

O seu email não vai ser publicado. Os requisitos obrigatórios estão identificados com (*).


opiniao