diario as beiras
opiniao

Opinião: Harajuku: o bairro que veste o mundo

28 de junho às 09h22
0 comentário(s)

O bairro de Harajuku fica a 15 minutos da nossa Embaixada. Mas não é apenas mais um aglomerado populacional em Tóquio; é o epicentro de uma revolução estilística que veste o mundo. Nas suas ruas vibrantes e coloridas, jovens japoneses expressam a sua individualidade através de roupas que desafiam convenções e inspiram tendências globais.
Caminhar por Harajuku é como entrar num desfile contínuo. A moda aqui é uma tapeçaria de estilos onde o tradicional se encontra com o futurista. É possível ver desde o Lolita, com as suas saias rodadas e laços evocando a inocência vitoriana, até ao Visual Kei, que mistura o glamour do rock com a teatralidade do kabuki. Também encontramos o Kawaii, celebrando o que é adoravelmente fofo, e o Gyaru, caracterizado por bronzeados e cabelos descoloridos.
Esta explosão de criatividade transcende as suas ruas e espalha-se pelas passarelas internacionais, influenciando designers de renome. Marcas e nomes como Comme des Garçons, Issey Miyake e Yayoi Kusama levaram a estética japonesa para o mundo inteiro, com as suas silhuetas inovadoras e abordagem conceptual.
A influência de Harajuku é também evidente na forma como a moda japonesa abraça a sustentabilidade. Em resposta ao consumismo, surgiu o movimento Mottainai, que prega o respeito pelos recursos e a reutilização de materiais, dando origem a uma nova onda ética e consciente.
No entanto, o bairro não se tornou um ícone de um dia para o outro. Após a Segunda Guerra Mundial, começou a transformar-se num local de encontro para jovens criativos, especialmente com a chegada das culturas ocidentais. Esta fusão de ideias e estilos deu origem à rica diversidade que vemos hoje.
Lembro-me da primeira vez que o visitei. Senti-me numa realidade paralela. No Japão, caros leitores, a moda é mais do que vestuário; é uma forma de estar na vida. Reflete a alma de uma nação que valoriza a expressão individual e a harmonia coletiva, refletida num conceito de estética único. E enquanto Harajuku continua a inspirar designers e criadores, a moda japonesa permanece como um símbolo de inovação e influência cultural.
O futuro parece, pois, promissor, com novas gerações a reinterpretar estilos, sempre com um olhar atento à sustentabilidade. Ou não fosse a moda um testemunho da capacidade humana de se reinventar continuamente.

Autoria de:

Vítor Sereno

Deixe o seu Comentário

O seu email não vai ser publicado. Os requisitos obrigatórios estão identificados com (*).


opiniao