diario as beiras
Nacional

PR considera “uma alegria” acordo para nomeação de Costa para Conselho Europeu

25 de junho às 14h48
0 comentário(s)
DR

O Presidente da República considerou hoje que é “uma alegria e muito bom para Portugal e para a Europa” o acordo preliminar para a nomeação do ex-primeiro-ministro António Costa para o Conselho Europeu.

“É uma alegria e é muito bom para a Europa e para Portugal se se confirmar [nomeação]”, disse Marcelo Rebelo de Sousa à chegada à Fundação de Serralves, no Porto, para participar na conferência “BIAL 100 Years – Shaping the Future”.

O chefe de Estado não quis, contudo, alongar-se nos comentários, uma vez que a proposta ainda será apreciada na quinta e sexta-feira pelo Conselho Europeu.

“Não queria fazer agora mais comentários porque, tanto quanto sei, a equipa negociadora chegou a acordo e vai apresentar a proposta depois de amanhã [quinta-feira]. Só depois de amanhã é que é formalmente apreciada pelo Conselho [Europeu]”, disse.

Os seis chefes de Governo e de Estado da União Europeia (UE) que, no Conselho Europeu, estão a negociar os cargos de topo, incluindo a nomeação de António Costa, chegaram hoje a acordo preliminar, avançaram fontes europeias à Lusa.

Depois de uma primeira tentativa falhada para acordo no jantar informal de líderes da UE a 17 de junho passado, estes negociadores (de centro-direita, socialistas e liberais) têm estado em conversações sobre os cargos de topo europeus no próximo ciclo institucional, discutindo-se o nome de António Costa para a liderança do Conselho Europeu, o de Ursula von der Leyen para segundo mandato na Comissão Europeia e o da primeira-ministra da Estónia, Kaja Kallas, para chefe da diplomacia comunitária.

Além do primeiro-ministro português, Luís Montenegro, que já disse que apoiaria a nomeação de António Costa, há outros 11 chefes de Governo e de Estado do Partido Popular Europeu (PPE), de países como Grécia, Croácia, Letónia, Suécia, Áustria, Irlanda, Roménia, Finlândia, Chipre, Polónia e Luxemburgo, que assumiram o apoio ao antigo governante português.

É também o Conselho Europeu que propõe o candidato a presidente da Comissão Europeia, instituição que tem vindo a ser liderada desde 2019 por Ursula von der Leyen, num aval final que cabe depois ao Parlamento Europeu, que vota por maioria absoluta (metade dos 720 eurodeputados mais um).

Autoria de:

Agência Lusa

Deixe o seu Comentário

O seu email não vai ser publicado. Os requisitos obrigatórios estão identificados com (*).


Nacional