diario as beiras
Coimbra

Coimbra: Associação de Paralisia Cerebral renova ginásio e piscina

08 de julho às 09h50
0 comentário(s)
DR

A piscina de hidroterapia e o ginásio da Associação de Paralisia Cerebral de Coimbra (APCC) estão a necessitar de obras urgentes.

Localizados nas instalações da instituição no Vale das Flores, os dois equipamentos são fundamentais para o desenvolvimento das atividades terapêuticas que a APCC promove, especialmente no caso da piscina, que deixou de funcionar por ocasião da pandemia de covid-19 e não foi reativada.

A C âmara Municipal de Coimbra vai ratificar hoje, em reunião de vereadores, a atribuição de 10 mil euros para requalificação das respetivas instalações desportivas, situadas no Centro de Reabilitação de Paralisia Cerebral, no Vale das Flores.

Os serviços municipais adiantam que “pretende-se, com esta intervenção, a melhoria das condições de prática de atividade física e desportiva, em particular dos praticantes de boccia, bem como colmatar algumas deficiências decorrentes da degradação ao longo dos anos”.

Boccia é uma modalidade desportiva que deriva de um jogo da antiga Grécia, introduzida em Portugal em 1983, durante um curso da APPC (Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral), em colaboração com a Associação Internacional de Desporto e Recreação para a Paralisia Cerebral.

Respostas para pessoas portadoras de deficiência

Cerca de 12 anos depois (1995) era inaugurado o ginásio da APCC em Coimbra, para dar resposta a mais de 140 pessoas com deficiência, semanalmente, com treinos de boccia e preparação física para as modalidades de natação e tricicleta.

Agora oferece um conjunto de serviços e respostas para pessoas portadoras de deficiência e respetivas famílias, “havendo áreas, das suas instalações, mais degradadas, devido a infiltrações, com danos consideráveis ao nível do pavimento, facto que requer obras de requalificação”, reconhece a equipa da autarquia que acompanha o processo.

Segundo os serviços, o apoio municipal, no valor de 10 mil euros, vai ser formalizado através de um contrato-programa, com vista à “qualidade de vida, no sentido de alcançar resultados desportivos de alto rendimento e, ao mesmo tempo, procurar combater o sedentarismo e a obesidade, desenvolver a autonomia e a independência, melhorar as qualidades físicas e mentais e captar novos praticantes”.

Pode ler a notícia completa na edição impressa e digital do dia 08/07/2024 do DIÁRIO AS BEIRAS

Autoria de:

António Rosado

Deixe o seu Comentário

O seu email não vai ser publicado. Os requisitos obrigatórios estão identificados com (*).


Coimbra