“Rostos” de saudade e amor

Amigo de longa data, o Prof. Doutor André Campos Neves fez-nos chegar às mãos, com dedicatória, uma obra de inquestionável valor sentimental, artístico e literário, fruto da criatividade da esposa (falecida) e portadora da mensagem que perdura, aquela que sobra quando se constrói um mundo para a humanidade, quando prevalecem os inefáveis laços do coração.

Intitulada “Rostos”, desenvolve no seu conteúdo um extraordinário somatório de imagens, palavras e pensamentos, que pertencem à capacidade criativa da autora, de alguém que morreu na terra e que doou ao futuro um património imorredoiro, que a recorda com saudade e a perpetua no espaço e no tempo: Maria Teresa Pinho.

O livro apresenta-se como uma homenagem póstuma sustentada no espólio seleccionado que a autora ofereceu aos familiares e aos homens. A obra com 144 páginas mostra que o “tempo não tem medida quando a medida é o amor”, um dos pensamentos brilhantes que Maria Teresa nos legou e que incarna um sorriso que fica na lágrima vertida da felicidade que desfrutou e que não morre, porque abundante e memoriada nos melhores doces da vida.

A Dr.ª Maria Teresa, uma personalidade de afectuoso trato e de plena amizade para os outros, foi uma fonte de inspiração e um exemplo de dedicação à família, a par do trabalho de investigação na Faculdade de Farmácia, da educação e ensino, das artes e letras e na excelência da mensagem da sua existência. Metódica e empenhada nas causas que abraçava, estava, também, vocacionada para as coisas do espírito, em que a poesia se aliava à prosa e as artes plásticas se repartiam pela pintura e desenho, graças à sua inteligência, sensibilidade e fecunda imaginação.

Maria Teresa, depois de aposentada, quis efectivar a sua criatividade e realizar “os sonhos” que a profissão científica adiara alguns anos. Matriculou-se na Universidade do Tempo Livre e tornou-se uma aluna distinta, quer na literatura, quer nas artes plásticas.

Telo de Morais, que deu as suas palavras para comentar os trabalhos artísticos de Maria Teresa, não esconde a admiração pela obra criada e pela sensibilidade da artista “senhora de grande riqueza interior e atenta ao mundo, no vasto trabalho artístico realizado …, consegue transmitir ao espectador uma força vital captando o espírito das pessoas …, qualidade que reside na capacidade para interpretar o olhar de cada modelo”. Como diz a sabedoria popular “os olhos são a janela da alma”. E, neste desígnio de artista, Maria Teresa oferece aos leitores poemas de rara beleza, retratos a óleo e desenhos a grafite, deslumbrantes, quadros que abraçam familiares, crianças, amigos, escritores, políticos, jornalistas, artistas, futebolistas, treinadores e personalidades famosas.

Um livro que faz parte integrante do percurso de uma vida rica, que como escreveu Fernando Pessoa “lê-lo é sonhar pela mão de outrem”, neste caso pelos “Rostos” de Maria Teresa.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.