Voto antecipado em segurança na Escola Avelar Brotero mas com algumas filas

Em Coimbra, a Escola Secundária Avelar Brotero foi, no dia de ontem, o local de voto antecipado em mobilidade para as eleições legislativas 2022. Os mais de nove mil eleitores inscritos puderam votar entre as 8H00 e as 19H00 para decidir quem são os próximos deputados da Assembleia da República.

Os motivos para a escolha do dia de voto antecipado variam de pessoa para pessoa. Inês Leandro, residente da Figueira da Foz, garantiu que a decisão de votar no dia de voto antecipado se prendeu pelo elevado número de pessoas que pode estar presente no dia 30 de janeiro.

“Essencialmente escolhi o dia de hoje para votar porque queria evitar a confusão e o aglomerado de pessoas que podem vir a estar no dia 30. Podendo evitar, aproveitei a oportunidade de hoje”, assumiu.
Residente no Algarve, Sebastião Correia apontou para a dificuldade de, no próximo dia 30, se deslocar ao sul do país para poder votar.

“Não conseguia ir ao Algarve na próxima semana para poder votar. Utilizei esta ferramenta do voto antecipado para votar cá”, informou.

João Martins, residente em Ponte Sor, explicou que o motivo para votar ontem foi meramente de agenda.
“Tinha coisas programadas no dia 30 fora da minha localidade e então decidi votar hoje”, explicou.

As três pessoas entrevistadas pelo DIÁRIO AS BEIRAS eram todas residentes fora da cidade de Coimbra mas, graças ao voto antecipado em mobilidade, tiveram a possibilidade de votar na cidade de Coimbra. Ainda assim, apesar de terem votado nesta cidade, os seus votos vão contar para os círculos eleitorais das suas residências.

João Martins realçou a importância desta ferramenta democrática. “Parece-me bastante positivo que se possa votar antecipadamente noutro local de voto à escolha do eleitor sem que esse voto não deixe de contar para o círculo eleitoral a que pertencemos. Só ajuda a democracia”, garantiu.

Segurança e organização estavam garantidas

Em pandemia, a preocupação com a segurança e higienização estão sempre em constante avaliação. Sebastião Correia enalteceu a segurança e o respeito das pessoas presentes no local de voto.

“Foi tudo seguro, havia distanciamento e as pessoas respeitaram as regras, estava toda a gente de máscara”, assegurou.
O eleitor da região do Algarve afirmou que, apesar de se ter enganado na entrada, a boa organização permitiu facilmente perceber onde tinha que votar.

“Ao início enganei-me na entrada mas como estava tudo bem organizado, foi fácil perceber onde é que era a minha mesa de voto”, explicou.

João Martins corroborou com a ideia de Sebastião Correia quanto à segurança. “Senti-me seguro na votação, não há motivos para preocupações”, frisou.

Inês Leandro reforçou a ideia que a segurança e a organização estiveram presentes no voto antecipado por mobilidade.
“Estava tudo muito bem organizado, a votação não demorou muito e as pessoas estão sempre de máscara e com o distanciamento necessário. Senti-me muito segura a votar”, salientou.

Quem se tiver inscrito para votar antecipadamente mas que, por algum motivo, não tenha o podido fazer, pode ir votar no dia 30 no local de voto respeitante à sua residência.

Na sexta-feira passada, o ministério da Administração Interna (MAI) informou que, em todo o país, aderiram a esta modalidade de voto mais de 310 mil pessoas.
O secretário de Estado Adjunto e da Administração Interna, Antero Luís, tinha afirmado à Lusa que, tinha sido desenhada uma logística para que cerca de um milhão de portugueses pudesse votar antecipadamente.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.