Coimbra: Brotero é a escola que espera mais alunos na segunda-feira

DR

Em Coimbra, é a Escola Avelar Brotero que mais alunos espera para o regresso das aulas presenciais. Naquela secundária, podem chegar aos 800 os estudantes dos 11.º e 12.º anos. O DIÁRIO AS BEIRAS antecipa o panorama esperado, a partir de segunda-feira, nalguns dos estabelecimentos de ensino da cidade.

Na Escola Brotero, o período mais “congestionado” vai ser o da manhã, com a direcção da escola a esperar cerca de meio milhar de alunos. 260 integram as 10 turmas do 12.º ano, com algumas a serem divididas em duas em determinadas disciplinas. Ainda de manhã estão previstas 11 turmas do 11.º ano, a funcionar num bloco diferente e com acesso diferente, a partir do exterior, aproveitando as duas entradas que a escola tem. De tarde há menos alunos mas o número de aulas é maior.

Circutos próprios no Colégio São Teotónio
No Colégio São Teotónio está preparado para receber 114 alunos. “Ainda não sabemos quais são os alunos que vão optar pelo regime presencial, mas estamos preparados para receber os 114”, disse Antero Rocha Abreu, diretor pedagógico do colégio.

A reabertura, seguindo as orientações da DGS, obrigou a várias alterações: desde logo, a criação de circuito de entrada e saída do estabelecimento, que levará alunos, docentes e não docentes a percorrerem “um único sentido”, de modo a impedir um maior cruzamento de pessoas. As turmas foram também reorganizadas, tal como os horários. De acordo com Antero Rocha Abreu, o colégio optou por concentrar as aulas no turno da tarde para que “os alunos tenham que ir o menos possível à escola”.

De referir que o Colégio São Teotónio tem creche e abrirá, na segunda-feira, com um número “muito reduzido” de crianças: serão apenas seis.

325 alunos na Escola Dona Maria
Na Escola Secundária Infanta Dona Maria, são 13 as turmas com aulas presenciais, sendo sete do 11.º ano e seis do 12.º. “Se todos se apresentarem, vamos ter 325 alunos na escola”, refere a diretora, Cristina Ferrão.

Neste estabelecimento, apesar do elevado nível etário dos docentes, foram poucos os que apresentaram declarações de risco. Por isso, não houve necessidade de recorrer a contratação extra.

Nesta escola, não faltam espaços amplos para aulas, como a biblioteca, o auditório, o refeitório, a sala de teatro, etc. Para além disso, cada uma destas “salas de aula” tem espaços adjacentes disponíveis para permitir um recreio seguro e controlado, garante Cristina Ferrão.

Quanto à entrada, vai fazer-se por dois portões. Em cada um, vão estar três funcionários para a distribuição de máscaras, gel desinfetante e medição de temperaturas. A circulação no interior vai fazer-se por percursos controlados por outros funcionários.

“Estamos expectantes e, tenho de confessar, um pouco temerosos, mas confiantes de que as medidas que adotámos são suficientes para garantir o máximo de segurança”, remata Cristina Ferrão.

19 turmas em 26 salas na Quinta das Flores
Na Escola Básica e Secundária Quinta das Flores haverá 26 salas disponíveis para os 450 alunos que poderão regressar na segunda-feira ao regime presencial. Segundo Lúcio Pratas, diretor da escola, haverá 19 turmas (oito do 12.º ano e onze do 11.º) que serão distribuídas por 26 salas.

A entrada no estabelecimento será feita através da “porta dos fundos”, havendo um trajeto que evitará o cruzamento das pessoas dentro do edifício.

A “eventual” socialização fora dos muros da escola é algo que preocupa o diretor. “Podemos controlar o distanciamento dentro da escola, mas não fora dela”, admitiu. Ali os alunos não poderão sair da sala no intervalo de tempo em que termina uma aula e começa outra.

Nesse período, “os alunos permanecem na sala”. Enquanto isso, alguém deverá entrar para desinfetar o espaço: secretária, mesa, cadeira e outros utensílios usados. Só depois, as aulas serão retomadas.

Aulas até no ginásio na Escola Dom Duarte
Diferente é o panorama na Escola Secundária Dom Duarte. Segundo a diretora do Agrupamento Coimbra Oeste, Isabel Veiga Simão, este regresso está a ser preparado desde 20 de abril, num trabalho conjunto da direção e dos docentes envolvidos. Aqui, são “apenas” 180 os estudantes matriculados nas sete turmas (quatro do 11.º ano e três do 12.º), que regressam na segunda-feira. As aulas vão decorrer em quatro espaços (incluindo o ginásio) e não foi necessário desdobrar turmas.

Pode ler a reportagem dos jornalistas Patrícia Cruz Almeida e Paulo Marques na edição digital e impressa do DIÁRIO AS BEIRAS

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.