Pampilhosa da Serra: “Eterno inconformado” quer fazer concelho crescer

“Foto: Ana Ferreira”

Um dos maiores desafios para a Pampilhosa da Serra será conseguir agilizar e executar um conjunto de obras “estruturantes e necessárias”, mas sem esquecer um outro grande desígnio que é fixar população no concelho.

Estes foram os dois grandes objetivos a que se propôs, no sábado, o novo presidente da câmara Municipal. No seu discurso de investidura, Jorge Alves Custódio começou por lembrar que será sempre um “eterno inconformado relativamente ao abandono que os sucessivos governos centrais têm tido para o Interior.” E garantiu que “será um eterno revoltado enquanto não se fizer justiça e uma discriminação positiva” àquele território.

Numa cerimónia que encheu o Mercado Municipal, o autarca frisou, contudo, que o projeto que saiu vencedor no passado dia 26 de setembro “ foi moldado por objetivos concretos, por projetos exequíveis e não por promessas fáceis e populistas”. Assim, entre as obras previstas, Jorge Custódio destacou a retificação da Estrada Nacional 344; a construção de uma nova ponte sobre o Rio Unhais, junto ao cemitério da vila; a requalificação do espaço conhecido como casa do Dr. Afonso, que servirá para implementar um espaço de coworking; a construção de uma nova unidade fabril de confeções têxteis na Zona Industrial da Portela de Unhais; ou a criação uma rede de miradouros inovadores em locais estratégicos do concelho.

“Nenhuma destas obras que elenquei será descurada, tal como todas as outras que considerarmos fundamentais para garantir uma melhoria progressiva da qualidade de vida da nossa população”, garantiu.

Porém, o novo presidente da câmara não esquece a outra grande missão: a de fixar população no concelho, o que passará (também) pela criação de postos de trabalho. Por isso, ficou a promessa de reformulação do regulamento de apoio à criação de postos de trabalho nas associações, atribuindo-lhes um reforço financeiro.

Para além de outras ações de apoio às famílias, o novo executivo pretende reforçar financeiramente a medida “A minha primeira ajuda”, atribuindo 5.000€ para os primeiros e segundos filhos, e 10.000€ para os seguintes.

Notícia completa nas edições impressa e digital do DIÁRIO AS BEIRAS

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.