PSP julgado por violência doméstica

 

Um chefe da Brigada de Trânsito da PSP de Coimbra, começou ontem a ser julgado suspeito de agredir e ameaçar a mulher durante mais de um ano. Em tribunal, o arguido afirmou que parte da acusação é falsa, apesar de admitir alguns dos factos de que foi acusado pelo Ministério Público (MP).
O agente da PSP, de 55 anos, está acusado de violência doméstica, ofensa à integridade física simples e qualificada e ameaça agravada, contra a mulher com quem casou em 2013.
Segundo a acusação, citada pela agência Lusa, o arguido terá começado a manifestar “ciúmes exagerados e infundados” em 2015, quando a mulher passou a trabalhar numa escola em Leiria. A relação degradou-se e são descritos episódios de insultos, difamação e destruição de bens da vítima, assim como uma situação em que terá arrancado as portas de um roupeiro e as atirou em direção à filha da ofendida. Já no final da relação, terá perseguido a vítima e embatido por diversas vezes o seu carro contra a porta da frente do condutor do veículo da mulher, com ela e a sua filha lá dentro.
“Em parte, [os factos da acusação] são mentirosos”, começou por dizer o arguido, embora tenha admitido que exigia ver as mensagens de telemóvel da mulher, nas quais encontrou “fortes indícios” de que ela o traía.
O polícia salientou ainda que, sempre que falava em acabar com a relação, a sua companheira ameaçava com tentativas de suicídio. Recusou ter partido objetos da mulher, mas admitiu ter arrancado as portas de um roupeiro num acesso de raiva, alegando que o fez depois de a filha da enteada o ter insultado, mas que não os atirou contra ela.

Versão completa na edição impressa

4 Comments

  1. Isto não passa de uma ficção, pois este Senhor é uma pessoa pacifica e esta Senhora tem já um historial de acontecimentos semelhantes, pois já não é o primeiro relacionamento em que ela "coitadinha" aparece sempre no papel de vitima. O que ela quer é dinheiro!!

    Aproxima-se para depois as sugar

  2. Isto não passa de uma ficção, pois este Senhor é uma pessoa pacifica e esta Senhora tem já um historial de acontecimentos semelhantes, pois já não é o primeiro relacionamento em que ela "coitadinha" aparece sempre no papel de vitima. O que ela quer é dinheiro!!

  3. Luís Ribeiro says:

    O Sr Jornalista, deve estar mais atento aos factos, que, de forma ligeira, trata das suas notícias. Conforme é do seu conhecimento, ou pelo menos, deveria ser, impõem-se ao Senhor Jornalista a bem da veracidade e da qualidade das informações que publica, o apuramento dos factos, de forma profissional e diligente. É seu dever profissional, apurar a veracidade das notícias que publica, nomeadamente, questionar o, alegado, autor dos factos, e não, conforme fez, estar a acusar, indevidamente, violando toda a ética do jornalismo, ao publicar, parte de notícias inverídicas.
    Aconselho-o, a ter cuidado com as sua(s) fonte(s).
    Que bela peça jornalística!!!!!! Estranhamente, parece conhecer todos os factos.

    Se calhar, obteve a notícia da mesma forma que obteve um canal de Televisão, por via, corajosamente anónima,cuja autoria dificilmente se descortina, por não se perceber a quem aproveita esta publicidade, gratuita e orientada e com objectivos pré-defenidos.

    Teria sido mais profissional da sua parte, conforme Vosso Código Deontológico, apurar a veracidade dos factos na outra parte.

    Luís Ribeiro

    • Bouftagalett says:

      Se me permite: também, nota-se que o Sr. Luis Ribeiro parece estar convencido que o Sr. Jornalista esta errado no seu relatório. Mas também não traga elementos concretos para permitir ao leitor de inteirar-se deste assunto com suficiente claridade e assim determinar a sua própria opinião.
      Portanto o resultado fica por 0-0.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.