Queda de parapente no Parque Verde faz um ferido grave

Posted by

Foto de Carlos Jorge Monteiro

Uma mulher ficou gravemente ferida, este domingo (27) à tarde, na sequência da queda do parapente onde viajava com outra pessoa.

O acidente aconteceu no Parque Verde, em Coimbra, quando o parapente se despenhou em cima da árvore de Natal recentemente inaugurada naquele local.

Ver a notícia completa na edição de 28 de novembro do DIÁRIO AS BEIRAS

45 Comments

  1. Carlos Luis says:

    Vi o acidente e socorri as vitimas fui o primeiro a chegar junto da senhora.
    A senhora de 41 anos de idade estava consciente e referia fortes dores na cintura pelvica. o Piloto não tinha queixas e recusou transporte.

    De referir que os parapentes primeiro chocaram no ar e depois é que caiu um deles o outro não.

  2. Paulo Branco says:

    Já não me lembrava de ver um apara-to de gente e policia toda junta à muito tempo. Duas policias num so acidente ( Policia municipal e PSP)!!! Mas graças a deus a senhora ficou bem 🙂

  3. Isidro Rodrigues says:

    Por acaso também assisti ao acidente, mas se não fosse a brincadeira desses senhores no ar, que já andavam do outro lado do rio na mesma brincadeira a fazer cruzamentos muito perto um do outro. Coitadas é das pessoas que foram dar um passeio com os filhos e não ganharam para o susto.
    Por acaso não será este o senhor que em 2004 no EURO, foi obrigado a pousar pela Força Aérea Portuguesa por não ter autorização para andar nos "céus" de Coimbra?

    • Luís Afonso says:

      Como se pode comparar um susto com ser vítima de um acidente?!
      Fizeram aproximações em cima do rio.
      Para sua informação não foi este piloto que foi obrigado a pousar em 2004.

    • Nao Na foi esse senhor amigo.Falta de informação da sua parte!
      A isso chama-se o levantamente de um falso testumunho. QUem nao sabe Cala-se!! E nao vem para aqui comentar!!

  4. Isidro Rodrigues says:

    Por acaso também assisti ao acidente, mas se não fosse a brincadeira desses senhores no ar, que já andavam do outro lado do rio na mesma brincadeira a fazer cruzamentos muito perto um do outro. Coitadas é das pessoas que foram dar um passeio com os filhos e não ganharam para o susto.
    Será este o senhor que fez levantar os F16 da FAP no EURO 2004?

  5. Gonçalo Ferreira says:

    Era realmente um parapente ou seria um paramotor? Ou seja, tinham motor e hélice?
    Os jornalistas (e as pessoas em geral) costumam fazer essa confusão…

    Já vi várias vezes paramotores a sobrevoar o parque (e diga-se, contariando todas as normas de segurança…) mas não conheço nenhuma descolagem de parapente (sem motor) que permita facilmente chegar a Coimbra.

  6. Espero bem que sejam obrigados a pagar todos os danos que causaram.
    Se andavam a brincar, agora que assumam responsabilidades.

    • Luís Afonso says:

      Não se preocupe que são pessoas de bem e assumem as suas responsabilidades.
      Lá estavam as autoridades para levantar o auto e enviá-lo ao INAC para atribuir as coimas do costume.
      Quantos aos danos, lá estarão as companhias de seguros para os pagar.
      Piores danos são os que os seguros não conseguem pagar e que estão a ser sofridos pela passageira que se encontra no HUC com 3 vértebras e uma clavícula fracturada.
      Esqueceu-se das melhoras para os acidentados.
      Bem haja.

  7. Carlos Luis says:

    O dito pássaro tinha motor !!! 🙂 e tem o tal paraquedas por cima…

  8. dy-portugal says:

    Estes indivíduos dos parapentes com motor, são useiros e vezeiros, em infringir todas as leis e o bom senso. Já há uns anos que o fazem. Até se permitiam fazer publicidade a empresas como por exemplo a uma de táxis. Para tal tinham que voar baixinho para as pessoas cá em baixo verem a publicidade.
    Desde dizerem adeus às pessoas, fazerem acobracias, e outras faltas de respeito pela vida e do património dos outros, só não viu quem não quis, principalmente aos fins de semana.
    Há uns três ou quatro anos, até já tiveram o descaramento de voarem baixinho e andarem no sítio por uns dez minutos, por cima de um dos cemitérios de Coimbra, no feriado de 01 de Novembro!!!
    Voam sempre muito baixo, bem rentes por vezes a prédios de 3 ou 4 andares. Pelas minha contas e olhando a realidade e sem ilusões de óptica, seguramente que voam a 20 (vinte) metros acima do solo!!!
    (continua)

    • o sr deve de ter é dor de cotovelo. e já agora o sr por acaso conhece as leis pra
      dizer que estão a infringilas se calhar não.
      então não faça comentários de m………

  9. dy-portugal says:

    (continuação)
    Ora, se o mínimo para os parepentes sem motor é de 300 (trezentos) metros acima dos obstáculos, portanto veja-se a irrazoabilidade e criancice dessa gente dos parapentes que têm andado pela cidade. Terão licença para tal? E onde o podem fazer? Nas cidades?
    A Polícia já devia ter actuado bem como, e também, fazer chegar o assunto à Aeronáutica Civil.
    Há uns tempos, percebi que têm um clube ou coisa que o valha, na zona da Pedrulha – Coimbra, que é dentro da cidade.
    Além do perigo que os indivíduos trazem ao pessoal que anda na rua, e também ao património dos outros (residências incluídas), há o barulho dos motores que é demasiado ruidoso.
    No sábado também andaram na zona da baixa, Parque Mondego, Santa Clara, etc., e sempre como quiseram: baixinho, sem serem incomodados.
    Levem-nos a tribunal e que paguem com o corpo as irracionais atitudes que têm vindo a ter.
    Isto faz-me lembrar o trânsito e o estacionamento em cima dos passeios da cidade. Caótico, indisciplinado, vergonhoso!
    Polícia, onde estás e por onde andas? As multas parece que desapareceram …

  10. João costa says:

    Foi um milagre não ter morrido ninguém! Estes auto denominados Pilotos andavam a passar tangentes entre si e puseram em risco muitas vidas no Parque Verde. Algumas pessoas referiam que um dos autores da desgraça já tem tantas quedas e Fracturas que é uma verdadeira ameaça à sociedade.
    Espero que sejam punidos em termos legais!

  11. Cristina Saltão says:

    Tenho pena que estas pessoas falem sem saberem das coisas…. Pura ignorância…
    Eu estava lá e vi tudo…
    Infelizmente os acidentes acontecem e qualquer pessoa que ande de carro, de bicicleta de avião ou mesmo a pé pode ter um acidente… Por isso não digam barbaridades sem saberem o que realmente aconteceu…

    • dy-portugal says:

      Oh, madame!
      Já que pensa assim, que caiam em cima de si uma série de irresponsáveis parapentes com motor ou sem ele iguais ao da notícia, e depois venha dizer que foi um acidente e que acontece, e mais isto e mais aquilo! Ignorância …
      Temos pena e rezamos por si!
      Amen!

  12. A senhora Cristina Saltão, não deve ter visto o mesmo que nós todos.

    Claro que o acidente foi uma total responsabilidade dos intervenientes.
    Quando você vê dois paramotores a cruzarem-se por diversas vezes, em que uma delas até as hélices de um corta parte do pára-quedas do outro… deve ser porque existe muito "trânsito no espaço aéreo, certamente"
    Foi uma total irreponsabilidade, e puro exibicionismo, pois estavam muitas pessoas, incluido familias com crianças no Parque Verde.
    O paramotor que teve o acidente, deve ter caído a cerca de 30~40 metros da zona dos baloiços.
    e em jeito sra. Cristina, este tipo de acidentes evitam-se.

  13. Carlos Luis says:

    Sem duvida que o RISCO é elevado. Temo que ser realista o acidente ocorreu num local super povoado por crianças e adultos. Desta vez correu bem primeiro porque o "passaro" não caiu em cima de nimguem e segundo porque pelo que sei resultou um ferido cujas lesões não são preocupantes nada que o tempo não resolva..

  14. SEM DUVIDA QUE EXISTEM PESSOAS SEM SENTIMENTOS!!
    Poderia ter acontecido a algum de nos em qualquer circunstancia.
    E tamos a falar de passageiros Profissionais… Quem nao sabe é como quem nao ve!!

  15. Embora não esteja mandatado para a defesa dos pilotos de Paramotor, não posso deixar de comentar:
    A actividade de Paramotor (Parapente com motor) surgiu no país há poucos anos através de uns entusiastas que desde o início se esforçaram pela legalização da modalidade.
    Apenas há alguns anos é que o INAC demonstrou a intenção de integrar o Paramotor na classe de ultra-leves, criando uma comissão de estudo para o assunto.
    Actualmente estão integrados na F.P.de Aeronáutica que emite as licenças e os respectivos seguros.
    Todos os pilotos licenciados têm conhecimento da legislação em vigor e pagam os respectivos impostos.
    Não posso deixar de referir o caso das estradas, em que todos estão habilitados a conduzir e nem sempre cumprem as regras, pondo em risco as próprias vidas bem como a de terceiros.
    Ao contrários dos automobilistas, os pilotos de Paramotor não conseguem passar despercebidos e para “descanso” de alguns comentadores, posso assegurar que nenhuma queda de Paramotor tem escapado às autoridades que fazem encaminhar os casos ao INAC (Instituto Nacional de Aviação Civil) que, por norma, aplica elevadas coimas; a somar aos prejuízos materiais e danos físicos provocados pelas quedas.
    Esse mesmo INAC que tem fechado as portas à legalização integral dos Paramotores, não perde tempo a aplicar coimas pesadas a quase todos os processos que lá caem.
    Aqui há alguns anos, foi-me vedado o acesso ao aeródromo de Cernache para descolar e participar numa das inúmeras buscas de pessoas (até um gato) em que participei ao longo dos anos; por não ter um certificado emitido pelo INAC.
    É com alguma tristeza que leio as referências à quebra das regras por parte dos pilotos, uma vez que a maioria são pessoas responsáveis e cumprem as regras.
    Existe um grupo de pilotos em Coimbra, cujos elementos são conhecidos e participam em actividades de utilidade pública (buscas, animação, fotografia, etc.) de forma gratuita e voluntária. Talvez não cumpram bem as regras nesses dias, mas o risco é apenas aparente.
    Posso garantir-vos que é uma actividade segura e talvez por isso dada a excessos e algum facilitismo.
    O piloto que voava no “Trike” (triciclo) de 2 lugares é um dos melhores pilotos nacionais, com mais horas de voo. Tem proporcionado a muito boa gente, momentos de prazer inesquecíveis. Não teve culpa que outro lhe rasgasse a Asa (Parapente) com a hélice e o obrigasse a uma aterragem descontrolada.
    A passageira do Trike acidentado encontra-se no HUC com 1 clavícula e 3 vértebras fracturadas.
    A ela e a todos os intervenientes deste acidente desejo uma recuperação breve, Também aos que se encontravam no solo, que não devem ter ganho para o susto.
    Seria bom que deixassem o egoísmo de parte e deixassem de fazer comentários infelizes, sem pensar no sofrimento da vítima que se encontra no HUC, assim como todos os seus familiares e amigos.
    Bons voos
    Luís Afonso

    • João costa says:

      Ex.mo Luis Afonso
      Desejo sem sombra de dúvidas as melhoras das pessoas acidentadas!
      Mas tem de reconhecer que os 2 elementos voadores estavam a voar já há mais tempo em voos muito pertos uns dos outros.
      Já quase bateram por cima do rio mondego, depois dirigiram-se para o parque Verde onde num domingo à tarde havia um número considerável de Pessoas e crianças. Tive a infelicidade de ver o acidente do Parque e fugi com a minha criança de 2 meses e outra de 5 anos. Escusado será explicar o pânico que sentiram as pessoas que viram o acidente e que já antes estavam a observar os voos rasantes sobre o rio.
      Acredito que seja uma actividade que dê muita adrenalina e que voar seja um grande prazer, mas em tudo tem de haver Segurança e neste caso foram quebradas.
      É fácil criticar depois dos acidentes acontecerem mas podia ter sido uma grande grande tragédia.
      Espero sinceramente que possam continuar a voar em zonas que não ponham em risco a integridade de terceiros! E desejo a rápida melhoria dos acidentados!

  16. claudia fernandes says:

    muito se fala,,mas de facto nao podemos considerar a aeronave em questao como sendo um parapente (pelo que vi no video) mas sim um ulm(ultra leve com motor de asa flexivel) . nao se pode segundo as leis aeronauticas se considerar um parapente porque nao descola so com a ajuda do piloto .de facto foi um total iresponsabilidade dos pilotos e agora resta e apurar se estao aptos a conduzir esse tipo de aeronave,,nao acredito q estejao porque forao contra todas as regras basicas aeronauticas e isso so vem denerir a modalidade,mas pareçe q nao se fica so por aqui uma vez q alem do piloto ainda estava a fazer baptimos de voo a outras pessoas,,sera q estao devidamente legais para o fazer e sera q tem algum tipo de seguro?? como seria em caso de morte da passageira ou invalidez??? muitas questoes se metem

    • Luís Afonso says:

      Cara Cláudia, o que faz denegrir a modalidade é a falta de camaradagem entre pilotos e a denuncia gratuita motivada pela inveja ou rivalidade estúpida.
      Penso que sei os interesses que representa, mas informo-a que existem mais pessoas a passar licenças (poucas) e a informação que lhe deram não é correcta.
      O piloto que refere está devidamente legalizado.

  17. Passarinho says:

    Caro Luis Afonso,
    O "melhor Piloto Naciona"l que refere é useiro e vezeiro em voar em condições adversas e consequentemente perigosas para si e para os outros com o objectivo de ter protogonismo e de ganhar o dinheiro dos chamados baptismos de voo. Já agora…na sua exposição esqueceu-se de referir que até á bem pouco tempo este "magnifico" piloto fazia baptismos de voo sem licença de voo e sem seguro.
    Cumprimentos.

    • Luís Afonso says:

      "um dos melhores pilotos nacionais"
      Não é uma classificação minha, mas de todos os praticantes da modalidade.
      Gostava de o conhecer para saber o que percebe de "condições adversas", ou que autoridade na matéria tem para fazer esses comentários. Isto não é futebol.
      Quanto ao protagonismo e "ganhar dinheiro", vejo que não conhece a pessoa em causa nem os montantes envolvidos.
      É verdade que andámos todos ilegais e a meu ver ainda andamos um pouco, mas isso seria tema para outra conversa.
      É verdade que o piloto em causa teve bastantes dificuldades em obter a licença, tal como eu, mas isso são outras guerras que só quem cá anda tem conhecimento.
      Essa história dos seguros também é engraçada. Parece que as pessoas não sabem o que é estar à mercê de companhias sem escrúpulos que tudo fazem para fugir às suas responsabilidades e que raramente pagam.
      Só quem cá anda…

      • Passarinho says:

        Caro Luis,
        Não vou alongar muito a minha intervenção, mas olhe que por vezes quem pede chuva apanha com tempestade…
        Conheço bem o piloto em causa e sei bem o que são condições adversas na prática desta modalidade provavelmente até melhor que o meu amigo.
        Tambem sei quais os montantes envolvidos. De facto até sei muita coisa acerca deste assunto e das pessoas envolvidas.
        Não pretendo alimentar polémicas nem denegrir ninguêm, acho o que aconteceu uma infelicidade e espero que não volte a acontecer.
        No entanto não posso deixar de realçar que irresponsabilidade dos 2 pilotos poderia ter causado um acidente muito grave a inocentes trauseuntes (incluindo crianças).
        (continua)

      • Passarinho says:

        (continuação)
        Acerca das licenças claro que as coisas não são como está a dizer porque já existe licença de paramotor á muito tempo e o piloto em causa só recentemente a adquiriu…claro que isso não foi motivo impeditivo de sempre ter voado, sózinho ou acompanhado com uma completa falta de respeito pelas regras vigêntes (incluindo a altitude minima em zonas habitadas).
        Dou por finalizada a minha intervenção neste assunto.
        Caberá ao INAC apurar as circunstancias e as responsabilidades deste acidente.
        Desejo-lhe bons voos em segurança.

    • vamonos trancar em casa,fechar as janelas ,o mundo la fora e mortifico.deus queira que nao morra ao cair da cama.nao sei por te chamas passarinho.

      • Zepirata, esse ai chama-se passarinho pk tb voa,mas voa pouco… e invés de dar uma palavra de apoio, vem por o pé em cima qd qalquer colega cai na lama. Só por isso já dá pra ver o valor e caracter do passarinho.

    • Esse passarinho tem tamanho de passarão e nem sequer sabe conviver quanto mais voar.
      Um dia, chegou à F.Coberta e não cumprimentou nenhum dos pilotos que se encontravam no local, como é seu hábito. Tiveram que interromper os voos para sua Exª. descolar e voar provocando "condições adversas" aos outros pilotos. No fim, aterrou contra uma viatura, provocando danos nela. Na altura não havia licenças de Paramotor nem seguros, mas ninguém o denunciou.

      Passava horas ocupando a pista de aeromodelismo (que era arrendada pelo clube de aeromodelismo)a tentar descolar, sem passar cartucho aos praticantes da modalidade que se encontravam no local.

      Mas pronto…a Internet permite que estas pessoas tenham estes desabafos e travestismos.
      Viva a liberdade de expressão.

      • Passarinho says:

        Compreendo a tentativa de atirar o "barro á parede", mas posso-lhe afiançar que nunca tive qualquer acidente de voo e nunca voei/descolei nos sitios que menciona no seu ataque despropositado.
        Resta-me apenas dizer que aquilo que referi anteriormente é um FACTO. Só não percebe isto quem não quer.
        Quanto ás outras intervenções não vou comentar porque o tom ofensivo e parcial em que são feitas nem merece resposta. Aliás este pequeno debate começa a parecer o "cantinho" dos "adjuntos" do Ernesto.
        Será que não percebem que com esse tipo de intervenções TODOS os adeptos desta modalidade perde?
        Deixem-se de demagogias e que as entidades competentes tratem do assunto.

  18. Jose Viana says:

    A árvore tinha sinalização para aeronaves? Foi inspeccionada?

  19. Meu Desus perde-se tempo a discutir uma infelicidade mas que no fundo é irrelevante face a outros (e graves) problemas da Cidade. E os acidentes de automovel por excesso de velocidade na cidade? E as manobras perigosas? E os prédios degradados de que em alturas de chuva forte ou vento forte se desprendem parte? As autoridades que investiguem o que houver a investigar e gostava de ver outros assuntos tão debatidos quanto este

  20. Ainda bem que não caiu em cima de ninguêm 🙁

  21. Realmente podia ter havido uma desgraça com tanta gente que havia no Parque Verde

  22. A verdade é uma só:- Cada um pode ser doido à sua maneira e da maneira que o fizer sentir mais feliz mas, haja um pouco de bom senso e de responsabilidade, pois concerteza que haverá muitos mais locais, muito menos povoados onde poderão demonstrar a sua loucura á vontade e, não em zonas como o local onde aconteceu o acidente, pondo em risco a vida de inocentes. São indivíduos sem uma réstica de responsabilidade, respeito pelos outros…

  23. É ponto assente que são indivíduos pouco escrupulosos nos seu deveres e nada dados ao respeito pela vida dos seus semelhantes e pelo cumprimento do bom senso.
    Eles procuraram o acidente, é pura verdade.
    Qual o direito desta gente em voar dentro das localidades, a baixíssima altitude, em locais com gente? É mais que evidente que é comportamento de inconscientes!!!
    Ainda por cima, numa total ausência de sensibilidade e revelando parcialidade (conhecem os ditos), há um ou outro comentarista, que os defendem!!! Só se pode concluir que, tanto uns como outros, são amigos da desordem e dão a ideia de viverem e fomentarem, um estado e comportamentos irresponsáveis.

  24. Que se ponham a pau os Senhores investigadores da policia judiciária, os Senhores Advogados, os Senhores Juízes!!! Temos Aqui verdadeiros crânios! O que pessoas levam anos a estudar para num futuro poderem vir a investigar, virem a acusar, virem a julgar, pessoas sem qualquer formação nestas áreas, em minutos conseguem fazer isto tudo de uma só vez! A ignorância e estupidez no seu melhor! “estupidez segundo o dicionário de língua portuguesa quer dizer, falta de inteligência e de delicadeza de sentimentos”.
    Aos grandes Juízes deste fórum seria bom Que não fizessem a catalogação dos senhores do parapente pela negativa. Como em todo o lado há os bons e os maus! Antes de julgar, primeiro investiga-se, juntam-se provas e finalmente julga-se segundo as provas recolhidas. Caso contrário correm o risco de dizer grandes asneiras como as que aqui foram escritas!
    Se porventura fosse minha intenção baixar ao nível de alguma desta gente deste fórum, seria obrigado a dizer que os automobilistas são uns assassinos malvados, pois todos os anos morrem centenas de pessoas nas estradas portuguesas, muitas delas vitimas da falta de civismo, de distracções, de irresponsabilidade, etc… O que é certo é que não podemos catalogar todos os condutores portugueses pela mesma medida!
    Outra situação lamentável e que ninguém tem a coragem de comentar, é a falta de sensibilidade dos espectadores e possivelmente de alguns destes comentadores, refiro-me ao circo que fazem numa situação destas, um circulo apertado de volta das vitimas, muitas maquinas fotográficas, muitas maquinas de filmar de forma a ser possível fazer umas boas imagens para descarregar no youtube nos próximos minutos, sim nos próximos minutos!!! Horas já não são aceitáveis neste mundo em que vivemos!
    Tendo em conta os comentários aqui feitos, em que a palavra respeito está acima de tudo e de mais alguma coisa, pensem no respeito em que todas aquelas pessoas de maquina fotográfica na mão, tinham pelas vitimas do acidente. Lembrem- se que todos nós, cidadãos anónimos, temos direito a nossa privacidade, e um acidente não deve ser a causa para a perder!

    • Pois é mas quem não resiste a fotografar pessoal que se comporta como os palhaços no circo?

      • Pensei que a estupidez já tinha atingido o seu máximo neste fórum!!! mas com este comentário… Acusações, julgamentos, aplicações de penas, já tudo isto aqui foi escrito! Agora dizer que a vitima teve um comportamento como um palhaço num circo… Este comentário revela bem o baixo nível desta gente! Talvez seja altura de se verem ao espelho e reflectirem, onde está o respeito, a decência, o bom senso Que tanto aqui reivindicam, quando vêem uma pessoa a sofrer de dor física, E no entanto teimam em formar um circulo a sua volta, não parando de apontar maquinas fotográficas, maquinas de filmar e telemóveis? Fotografar ou filmar sangue para obter protagonismo é repugnante! São aceitáveis estes actos quando é necessário dar conhecimento ao mundo de atrocidades cometidas por terroristas ou governantes de países, etc… FOTOGRAFAR UM CIDADÃO ANÓNIMO E COMPLETAMENTE DESCONHECIDO É UMA GRANDE FALTA DE RESPEITO!
        O parapente é uma bela máquina quando utilizada com regra e em conformidade com a lei existente.
        A máquina fotográfica é uma bela maquina quando utilizada por pessoas decentes.
        Ainda em relação a este triste comentador, no meu comentário anterior, mencionei o circo como um espectáculo, jamais compararia o palhaço com pessoas ditas inrresponsáveis aos comandos de um parapente, carro, moto ou outra máquina qualquer.

      • Se um dia tiveres um acidente vai ser grande palhaço como ainda agora o foste. Pensa mais e lava esse coração que aplaude e tira fotos a desgraça dos outros.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*