Miguel Babo lança livro e curta-metragem

Posted by

Miguel Babo

Depois de quatro obras já publicadas, Miguel Babo regressa ao panorama literário com um livro de contos. Com ilustrações de João Alves, a obra reúne 11 estórias distintas, escritas “em alturas diferentes e com motivações diferentes”, disse o autor ao DIÁRIO AS BEIRAS.

Do tabuleiro de xadrez ao campo de batalha, “O Rei Não Tomba!” é o título da última obra. Porque o livro “se assume como republicano”, explica, ao mesmo tempo que faz um paralelismo com o xadrez, modalidade que pratica.

A compilação do figueirense de 44 anos foi apresentada este fim de semana, na Biblioteca Municipal da Figueira da Foz, pelo “amigo e camarada de armas”, Nuno Catarino. Com a chancela da “Tal Editora”, integrada na “Talentilicious”. Esta associação cultural, à qual Miguel Babo preside, foi criada há cerca de um ano e trabalha na organização e promoção de eventos, essencialmente nas áreas da literatura, música e audiovisuais.

Porém, o livro não chega sozinho. Miguel Babo apresentou também uma curta-metragem da sua autoria, baseada no argumento de um dos seus contos. “O Condenado” foi realizado pelo autor, com a colaboração dos figueirenses “Timelapse Media”.

Os seus 15 minutos de filme abordam “temas como a desertificação do interior, o abandono das escolas ou os incêndios, de maneira simples e com alguma piada”. A curta-metragem foi filmada na Assembleia Figueirense e os intérpretes saíram do “Palco 13”, uma companhia lisboeta de jovens atores.

“Poesia Para Todos” na televisão 

Entretanto, ainda em parceria com a “Talentilicious” e os “Timelapse Media”, Miguel Babo vai dar o salto para o pequeno ecrã. Durante três anos, o poeta, ensaísta e declamador figueirense Carlos Carranca, levou ao palco do Instituto Português da Juventude, em Lisboa, a sua “Poesia Para Todos”.

Agora, o programa está a ser recuperado e decorrem as negociações com várias estações televisivas, adiantou Miguel Babo. As gravações do primeiro conjunto de 10 programas já arrancaram, em Coimbra. Vão ser “momentos de cultura e declamação”, diz, gravados um pouco por todo o país e destinados aos mais variados públicos.

A poesia da cada episódio é dividida por temáticas e envolta nas particularidade de cada cidade ou região visitada. Miguel Babo está também a terminar um documentário e garante que vão surgir mais trabalhos em breve.

7 Comments

  1. fixe adurei

  2. gostei buéda

  3. adorei a história que o senhor contou na biblioteca da Cordinha 😀

  4. Voce na escola de nossos arredores contou uma historia muito imaginaria .
    Gostei muito

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*