Incêndio na prisão de Coimbra provoca quatro feridos ligeiros

Posted by

FOTO DR

O incêndio que deflagrou esta quarta-feira à noite no Estabelecimento Prisional de Coimbra provocou quatro feridos ligeiros, que foram transportados para o hospital, disse à agência Lusa fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

Entre os feridos estão três guardas prisionais, que necessitaram de receber tratamento hospitalar devido à inalação de fumo, e um recluso, que sofreu queimaduras, adiantou a fonte do CDOS de Coimbra.

Os quatro feridos foram transportados para os Hospitais da Universidade de Coimbra.

Segundo o CDOS, o incêndio deflagrou numa cela da prisão e o fumo espalhou-se pela ala onde estava localizada a cela.

O alerta foi dado às 20:55 e o incêndio foi dominado às 21:25.

No Estabelecimento Prisional de Coimbra, estiveram quatro corporações de bombeiros, PSP e uma viatura médica do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM).

Fonte do corpo da guarda prisional disse à Lusa que o fogo foi ateado por um recluso, que hoje foi fechado numa cela do setor disciplinar devido a ameaças aos guardas prisionais durante a tarde.

A prisão de Coimbra é de segurança alta e tem atualmente 512 reclusos.

2 Comments

  1. maria carlos says:

    vão ter que acontecer mais situações destas para que o governo, abra os olhos a isto.
    As leis só são para os particulares, as instituições públicas não tem que respeitar as medidas de prevenção e segurança.
    Os simulacros deviam ser instituídos como obrigatórios, nestas instituições do Estado, tanto para preparar os trabalhadores como também para os bombeiros que por vezes desconhecem os locais.

    • Zé da Gândara says:

      Senhora Especialista em HST e em Protecção Civil:

      Se porventura os meios de socorro tivessem demorado tempo suficiente para permitirem que o fogo consumisse o pirómano, certamente que situações desta natureza não se verificariam nos próximos tempos… Não lhe parecerá? 🙂

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.