Sé Velha acolhe novena de Natal evocativa da Nossa Senhora do Ó

Uma missa na Sé Velha de Coimbra encerra este sábado uma festa natalícia de nove dias evocativa de Nossa Senhora do Ó, venerando uma imagem da Virgem na fase final da gravidez.

“Este é um culto de louvor a Nossa Senhora quando vai visitar a sua prima Isabel”, confirmando-lhe então a gravidez, disse hoje à agência Lusa o pároco da Sé Velha, monsenhor João Evangelista.

Recuperando o culto antigo a Nossa Senhora do Ó, os padres do arciprestado de Coimbra envolveram-se na realização de uma novena de Natal que começou no dia 17 e termina no sábado, às 11H00.

A novena, cujo programa transfere hoje a celebração para as famílias católicas de Coimbra que adiram ao culto, visa “a preparação do Natal com todos os valores desta época festiva”, segundo João Evangelista.

“Celebramos o Natal enquanto nascimento de Cristo como membro da Humanidade”, acrescentou o pároco da Sé Velha.

No último sábado, segundo dia da novena, a Sé Velha acolheu uma “Vigília pela vida” com a bênção de bebés, também seguida de eucaristia.

Neste local está exposta uma escultura em pedra da Senhora do Ó, que pertence ao templo medieval da Alta, mas integra atualmente o espólio do Museu Nacional Machado de Castro.

Esta imagem foi esculpida no século XIV pelo aragonês Mestre Pêro, que na cidade trabalhou na dependência da Rainha Santa Isabel.

Participam na novena todos os padres de Coimbra, tendo cabido ao bispo Albino Cleto a celebração de domingo passado.

A iniciativa encerra no sábado, às 11H00, com uma missa de Natal que inclui “ofertas de intenções e flores” à Senhora do Ó.

Em Portugal, onde este culto foi significativo durante séculos, Nossa Senhora do Ó é padroeira de 17 freguesias, seis das quais na diocese de Coimbra: Ançã, Barcouço, Cadima, Paião e Reveles (povoação de Verride).

No século XIX, muitas imagens da Senhora do Ó foram substituídas pela Senhora do Bom Parto, vestida de freira e com o ventre disfarçado pelas vestes, e ainda pela Imaculada Conceição, mais de acordo com as mudanças então verificadas no culto mariano.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*