Recluso queixa-se do apoio médico no Estabelecimento Prisional de Coimbra

No Estabelecimento Prisional (EP) de Coimbra, um recluso acusa os serviços prisionais de lhe negarem acesso a tratamento médico.

Bruno, condenado a nove anos por tráfico de droga, tem vários problemas de saúde. Segundo a namorada, que apresentou o caso à Associação Contra a Exclusão pelo Desenvolvimento (ACED) e aceitou prestar declarações ao DIÁRIO AS BEIRAS, o recluso, de 40 anos e natural dos Açores, tem vários problemas de saúde.

“Foi operado a um joelho, tem um dedo imóvel, três hérnias: duas nas costas e uma no estômago. Estou muito preocupada com ele”, afirma Sandra Medeiros.

No ofício dirigido ao Provedor e ao Inspetor-geral dos Serviços de Justiça, a ACED relata que “faz um mês que, pelo telefone, a família procura saber quando a prisão pode começar a tratar dos problemas de saúde do detido”. Do estabelecimento prisional informam “que há casos urgentes que são prioritários”. Versão confirmada pela namorada ao DIÁRIO AS BEIRAS e contrária àquela que foi dada pela direção-geral dos Serviços Prisionais (DGSP) que garante que o recluso tem tido o “acompanhamento médico adequado” no EP de Coimbra.

One Comment

  1. elisabete xavier says:

    eu não acho bem os prisioneiros estarem a pagar os produtos de limpeza e os talheres e por vezes a comida não é boa e algumas camisolas com fecho não entram e porque que para os outros podem entrar se realmente as regras são para todos então deixem entra as camisolas com fecho a todas as pessoas não é só a uns espero que as regras modem obrigado.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*