diario as beiras
Coimbra

Universidades reforçam apoio a estudantes-atletas de alto rendimento

22 de março às 13h07
0 comentário(s)

Quatro universidades do país, incluindo a de Coimbra, e dois politécnicos (Leiria e Santarém) fazem parte do lote de instituições do ensino superior que se comprometem a aplicar, a partir do próximo ano letivo, o projeto-piloto das Unidades de Apoio ao Alto Rendimento (UAARE), já existente no ensino secundário desde 2016.
Os protocolos com o Governo foram ontem assinados, também pelas universidades de Aveiro, Porto e Minho,  no IPDJ, com a deslocação a Coimbra das ministras Ana Catarina Mendes, dos Assuntos Parlamentares; e de Elvira Fortunato, da Ciência e Ensino Superior.

As instituições aderentes comprometem-se a reforçar as medidas de apoio aos seus estudantes que tenham também uma carreira desportiva de alta competição, para os quais já havia um estatuto próprio, mas que agora poderão beneficiar de outras ferramentas que não, apenas, a possibilidade de adiar datas de exames, quando estes coincidam com provas desportivas.
O respetivo despacho legislativo, de dezembro último, refere a necessidade de “desenvolver a estratégia digital, de ensino híbrido e de formação”, num trabalho articulado entre professores do ensino superior e treinadores dos clubes ou da seleção.
Além disso, defende a aplicação de “ambientes de aprendizagem inovadores adequados à sua formação académica e um plano de ação digital” com acesso a recursos educativos digitais e tutores/mentores.
O coordenador nacional do Alto Rendimento, Vítor Pardal, explicou que o UAARE agora replicado no ensino superior é o resultado do “sucesso” do sistema no ensino secundário. Em 2016 havia, a nível nacional, 56 alunos/atletas em quatro escolas aderentes, o que compara com os 1.252 atletas atuais, de 55 modalidades, em 27 escolas, com cerca de 93% de bom desempenho académico.
Estes dados resultaram em 890 chamadas a seleções nacionais de várias modalidades, 187 pódios europeus e 871 pódios nacionais de alunos do secundário. O crescimento foi ainda mais expressivo nos escalões femininos, que passaram de 11 alunas em 2016 para 502 alunas este ano.

Autoria de:

Deixe o seu Comentário

O seu email não vai ser publicado. Os requisitos obrigatórios estão identificados com (*).


Coimbra