Coimbra efetua transplante hepático com dador em paragem cardiocirculatória

Posted by
Spread the love

O Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) anunciou hoje a realização do primeiro transplante hepático com um fígado de um dador em paragem cardiocirculatória, proveniente de Espanha, para uma jovem em falência hepática aguda.

“Esta conquista representa um avanço na busca pela otimização dos recursos disponíveis e pela oferta de uma melhor qualidade de vida aos nossos doentes”, salientou o presidente da Unidade Local de Saúde (ULS) de Coimbra, Alexandre Lourenço, citado numa nota enviada à agência Lusa.

Segundo o comunicado, o transplante foi efetuado em dezembro numa recetora jovem com um quadro de falência hepática aguda, para a qual não foi possível alocar um enxerto colhido em Portugal em tempo útil, que já teve alta para o domicílio.

A Coordenadora da Unidade de Transplantes Hepáticos de Adultos, Dulce Diogo, salientou que “no ano de 2023 se registou, no CHUC, a atividade mais elevada de sempre na transplantação”, com 88 transplantes hepáticos, 79 dos quais em recetores adultos e nove em recetores pediátricos, “só comparável com o ano de 2016 em que foram realizados 78 transplantes hepáticos”.

Desde o início do programa da transplantação hepática no CHUC, em outubro de 1992, até dezembro de 2023, foram realizados 1.679 transplantes, “sendo que 307 são pediátricos (18% do total de transplantes), 33 em dador vivo e nove ‘splits’ (desde 2012) de lobos direitos utilizados em doentes adultos no CHUC e seis enviados para outros centros”.

“Estes significativos marcos demonstram a competência e dedicação das equipas das Unidades de Transplantação Hepática de Adultos e Pediátrica envolvidas nesta área tão complexa e desafiante, que muito têm contribuído para o reconhecimento da nossa instituição no campo da transplantação hepática”, sublinhou o presidente da ULS de Coimbra.

De acordo com o comunicado, Portugal é um dos líderes internacionais em transplantação hepática e ocupa “os primeiros lugares na doação em morte cerebral (3.º lugar, com 30,8/pmh, segundo dados de 2022), registando ainda uma taxa de transplantação hepática de adultos na região Centro que ultrapassa largamente a média nacional”.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.