Ministro defende que antes das eleições não faz sentido negociar horário laboral dos médicos