Futebol: Cartão branco por serenar os pais e adeptos da sua própria equipa

Posted by

Foto de Ricardo Panão

Há dias, num jogo de futebol dos escalões de formação, um atleta do Clube Condeixa foi “agraciado” com um cartão branco. O curioso é que o jovem atuou para serenar os ânimos exaltados entre os adeptos/pais da sua própria equipa.
Francisco Teixeira é o capitão dos juvenis (escalão Sub-15) do Clube de Condeixa. A equipa segue, tranquilamente, a meio da tabela da série B do Campeonato Distrital da AFC – Associação de Futebol de Coimbra.
A 30 de outubro, os jovens condeixenses deslocaram-se ao Campo das Lages, em Montemor-o-Velho, para defrontar o Atlético Montemorense.

Expulsão do guarda-redes
Aos 64 minutos de jogo, ainda com zero a zero, o árbitro decide expulsar o guarda-redes do Condeixa. “O jogo estava a decorrer normalmente quando, num lance duvidoso, o árbitro expulsou o nosso guarda-redes e a partir daí o ambiente aqueceu”, explica ao DIÁRIO AS BEIRAS o jovem Francisco Teixeira.
Em resultado disso, alguns adeptos/ pais da equipa visitante “começaram a exaltar-se com a equipa de arbitragem e com a equipa adversária”, acrescenta.
Um espetador presente, pai de um atleta do AC Montemorense, fala mesmo em “insultos e ameaças físicas à equipa de arbitragem, aos atletas e aos agentes da autoridade GNR presentes”.
A verdade é que, na sequência da confusão, o AC Montemorense acabou por marcar, por Bruno Maria, aquele que viria a ser o único golo da partida.

Elogios do adversário
Ao DIÁRIO AS BEIRAS, o referido espetador/pai de Montemor relata: “Todos os presentes assistimos a uma atitude dum jogador do Condeixa que nos deixou espantados. Pediu ao árbitro para parar o jogo, dirigiu-se aos pais, com muita calma e clareza, alertando-os para o comportamento incorreto que estavam a ter, e que não era o exemplo que os filhos esperavam e mereciam”.
Já Francisco Teixeira, instado pelo DIÁRIO AS BEIRAS, relata de forma mais modesta esta intervenção, “em cima” dos acontecimentos: “Ainda durante o jogo tentei acalmar os ânimos mas não foi possível”.

Atitude de capitão
Após o apito final, porém, o gesto do capitão condeixense não deixa dúvidas. “No final do jogo, dirigiu-se aos jogadores e técnicos da nossa equipa e, em nome dos jogadores do Condeixa, pediu desculpa pelo comportamento de alguns pais, e fez o mesmo junto dos elementos da GNR”, descreve o adepto/pai montemorense.
“No final, como capitão e como nós jogadores da equipa de juvenis do Clube de Condeixa não nos revemos neste tipo de comportamentos, achei bem ter uma palavra com os pais para isto não se voltar a repetir”, refere Francisco Teixeira, deixando claro que fez também um “pedido de desculpas à equipa adversária, à equipa de arbitragem e aos agentes da GNR que estavam presentes no estádio”.
O gesto teve tal impacte que o árbitro, Tomás Almeida, chamou o capitão Francisco Teixeira para o o felicitar pelo comportamento e mostrar-lhe o cartão branco pela atitude.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.