Dois jovens são julgados em Coimbra por suspeita de violações no Parque Verde

Posted by

Dois jovens, de 18 e 20 anos, começam a ser julgados na segunda-feira, pelo Tribunal de Coimbra, por suspeita de serem autores de assaltos e de duas violações na margem esquerda do rio Mondego, entre dezembro de 2021 e janeiro de 2022.

Os dois arguidos, que estão presos no Estabelecimento Prisional de Leiria, são acusados pelo Ministério Público de quatro crimes de violação agravada, cinco crimes de roubo e dois crimes de gravações e fotografias ilícitas.

O jovem de 18 anos, reincidente nesta prática e que tinha sido julgado recentemente por assaltar e tentar violar mulheres noutros pontos da cidade, é ainda acusado de um crime de pornografia de menores, por terem sido encontrados três vídeos de cariz sexual com crianças no seu telemóvel, aquando das buscas à sua residência, em 03 de fevereiro.

Segundo a acusação a que a agência Lusa teve acesso, o primeiro caso remonta a 23 de dezembro de 2021, junto à Escola Silva Gaio, na avenida Conímbriga

Aí, terão tentado assaltar e arrastar para um local pouco iluminado uma mulher, que caminhava sozinha.

Ao tentarem arrastar a mulher, esta conseguiu fugir, mas acabou por perder o seu telemóvel e mochila.

Em 08 de janeiro, já na zona do Choupalinho, junto às bilheteiras da Praça da Canção, os dois jovens assaltaram uma mulher e puseram-se em fuga.

O primeiro caso de violação registado na acusação aponta para 13 de janeiro, pelas 21:30, na zona do Choupalinho.

Um dos arguidos abordou a mulher, que se encontrava a caminhar sozinha naquela zona, e tapou-lhe a boca e o nariz com uma luva impregnada de álcool.

Com recurso a uma navalha, os jovens encaminharam a vítima para um túnel, através do qual acederam às traseiras de um posto de abastecimento, tendo violado a mulher.

Durante o ato, terão filmado e tirado fotografias, referiu o Ministério Público.

Em 17 de janeiro, por volta das 20:30, com o mesmo ‘modus operandi’, os arguidos abordaram um casal que caminhava no Choupalinho, com recurso a uma navalha e uma luva impregnada com álcool para os atordoar.

De acordo com o Ministério Público, os dois arguidos ameaçaram o namorado para não se mexer e violaram a sua companheira, voltando a filmar e a tirar fotografias do ato.

Na acusação, o Ministério Público pediu ainda a pena acessória de expulsão do país ao arguido mais velho, que é estrangeiro.

O julgamento começa na segunda-feira, no Tribunal de Coimbra, às 14:00.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.