Via negocial para saída de Penacova de empresa intermunicipal cai por terra

Posted by

DR

A Empresa Intermunicipal de Ambiente do Pinhal Interior (APIN) e a Câmara de Penacova abandonaram a via negocial para a saída do município da concessionária de água, esperando agora uma decisão de tribunal arbitral até ao final do ano.

“Havia duas vias: uma negocial e uma via judicial. Na via negocial entre as partes, infelizmente, não se conseguiu chegar a acordo, quer devido ao valor de indemnização, quer às circunstâncias associadas à saída”, disse hoje à agência Lusa a vice-presidente da Câmara de Penacova, Magda Rodrigues (PSD).

Segundo a autarca, a via negocial foi abandonada durante o mês de agosto.

“Houve uma frustração da negociação. Queríamos que a negociação surtisse um bom desfecho e cremos que a APIN também tinha essa vontade, mas não se conseguiram harmonizar as expectativas”, aclarou.

De acordo com Magda Rodrigues, a solução passa agora por uma decisão de um tribunal arbitral, cuja primeira sessão chegou a estar marcada para 13 de setembro, mas foi adiada para dia 27, a pedido daquele tribunal, para apreciar provas adicionais do processo.

Questionada pela agência Lusa sobre a decisão de se optar por um tribunal arbitral (privado e sem a transparência da via pública), Magda Rodrigues referiu que a decisão de se escolher essa via foi feita “pelo anterior executivo”, do PS, e uma outra opção poderia levar a um processo ainda mais moroso.

Ler mais sobre esta notícia na edição impressa e digital do DIÁRIO AS BEIRAS de amanhã, em 22/09/2022

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.