Figueira da Foz institui Prémio de Arquitetura José Isaías Cardoso

Posted by

Santana Lopes, Sílvia Ataíde e Carlos Figueiredo

Foi assinado o protocolo para a criação do Prémio de Arquitetura Isaías Cardoso, tendo como parceiros a Câmara da Figueira da Foz, a Secção Regional do Centro da Ordem dos Arquitetos e o Rotary Club da Figueira da Foz. A distinção visa perpetuar o nome e valorizar a obra do patrono e arquiteto modernista figueirense e estimular a promoção de novos talentos da arquitetura.

O documento foi assinado pelos presidentes das três entidades parceiras, Santana Lopes, Carlos Figueiredo e Sílvia Ataíde, respetivamente. A assinatura realizou-se durante a cerimónia da homenagem póstuma a Isaías Cardoso, no Auditório Municipal da Figueira da Foz, promovida pelos referidos parceiros.

Na cerimónia de homenagem ao arquiteto que fez escola na arquitetura modernista portuguesa, coincidindo com o centenário do seu nascimento, Matilde Cardoso, neta, e Carlos Figueiredo defenderam que se preserve a obra de Isaías Cardoso, em particular a primeira e considerada a mais icónica de todas – a piscina-praia da Figueira da Foz. “Esperamos que façam a piscina-praia reviver”, exortou a descendente do homenageado.

Matilde Cardoso defendeu, ainda, que “requalificar significa dar qualidade sem alterar a forma”. Por sua vez, Carlos Figueiredo, depois de afirmar que a arquitetura de Isaías Cardoso foi uma “nova luz para a cidade” da Figueira da Foz, advogou que, “quando se intervém neste património [a piscina-praia], é preciso ter muito cuidado”.

Acerca da reabilitação da piscina-praia, Santana Lopes adiantou que a sua orientação “vai ser a de reforçar a fidelidade àquilo que foi criado”. E garantiu que o seu executivo camarário procurará “tomar a melhor decisão em respeito ao projeto original [da piscina-praia]”.

A piscina-praia foi concessionada pelo anterior executivo camarário, tendo por objetivo a reabilitação e exploração do complexo turístico. Entretanto, o concessionário viu aprovada uma alteração ao projeto que permite a construção de uma nova ala, para aumentar a capacidade de alojamento do imóvel. Santana Lopes já manifestou a sua oposição a esta solução.

Afirmando que respeita o esforço desenvolvido pelos seus antecessores João Ataíde e Carlos Monteiro, feito no sentido de garantirem a reabilitação e a exploração do imóvel municipal classificado, o autarca disse que não se orgulha da intervenção realizada na piscina-praia na reta final do seu primeiro mandato autárquico na Figueira da Foz, no início do milénio. “Não tenho orgulho da alteração feita. Foi a [solução] possível”, afirmou, afiançando que, agora, será possível “fazer mais e melhor”.

Isaías Cardoso nasceu, há 100 anos, na vila das Alhadas, no norte rural do concelho da Figueira da Foz. Faleceu em fevereiro de 2017. O seu estilo modernista distingue-se do conjunto arquitetónico das diversas cidades da Região Centro onde projetou imóveis. A homenagem do centenário realizou-se no edifício do museu e biblioteca municipais da Figueira da Foz, que também tem a sua assinatura.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.