Coimbra quer 10 milhões para estabilizar margem esquerda do Mondego

DR/Pedro Ramos

A Câmara Municipal de Coimbra (CMC) está já na posse de uma estimativa financeira na ordem dos 10 milhões de euros (ME) para avançar com obras de estabilização da margem esquerda do rio Mondego, entre a ponte Rainha Santa e o Açude-Ponte.
O anúncio foi ontem feito por Santos Costa, diretor do Departamento de Obras Municipais da autarquia, durante uma visita explicativa das intervenções que decorrem ao longo do rio, realizada a bordo do Basófias no âmbito da Semana Europeia da Mobilidade.
Segundo o responsável, a autarquia procura “financiamento para fazer essa obra, que é bastante importante”.
“Há candidaturas, mas ainda não há confirmação de financiamento”, garantiu depois aos jornalistas Ana Bastos, já no final da visita. Segundo a vereadora da CMC, o projeto foi submetido a um programa lançado pela Comunidade Intermunicipal Região de Coimbra (CIM-RC) “no sentido de prevenir eventuais e futuras cheias”. “Submetemos esse projeto não só da margem esquerda da [ponte] Rainha Santa e Açude-Ponte, mas também da margem direita, na zona do Parque Verde”, precisou.

Ler noticia completa na edição impressa e digital do DIÁRIO AS BEIRAS em 21/09/2022

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.