Fiéis rumam à Igreja de Santa Cruz para adorar a padroeira

É a que as move e a mesma esperança: que seja possível curar a doença, que a paz não falte, que o amor esteja sempre entre aqueles que se ama, que haja pão para todos em casa. Ontem, entre os fiéis que foram à Igreja de Santa Cruz, muitos garantiram que não há, entre os santos, quem mais e melhor interceda que a Princesa Isabel de Aragão.
Estrela Gamboa levantou-se cedo, deixou pela primeira vez a muleta em casa, e pôs-se ao caminho.
“Sou de Vila Pouca do Campo e vim de autocarro, de propósito, ver a Rainha Santa”, conta. A chegada à Igreja de Santa Cruz foi “um momento de felicidade”.
“Tenho muita fé”, diz, quanto coloca a mão no peito, emocionada.
Ana Maria veio de mais perto (do bairro Norton de Matos) para oferecer à “sua rainha” uma rosa branca.
“Sabe: é sempre uma emoção muito grande poder agradecer à Rainha Santa tudo quanto tenho de bom na vida”, diz.
Ontem, também 15 utentes do Lar de Idosos da Venerável Ordem Terceira da Penitência de São Francisco foram ver a imagem esculpida por António Teixeira Lopes.
“Há alguns utentes que pedem para vir. Outros – os que têm maiores limitações –, tentamos nós trazê-los. Há sempre uma reação: alguns ficam comovidos; outros parecem recordar-se de tempos antigos em que, provavelmente, veneraram a Rainha Santa”, conta Maria Alice Abreu, animadora da instituição.
A imagem da Rainha Santa Isabel vai permanecer até amanhã na Igreja de Santa Cruz, mas, ao contrário do que estava inicialmente previsto, a missa presidida pelo bispo de Coimbra, seguida da procissão solene de regresso não será às 16H00, mas às 17H00, devido às elevadas temperaturas que são esperadas.
A chegada à Igreja do Mosteiro de Santa Clara-a-Nova está prevista para as 21H30, com uma breve alocução por D. Virgílio Antunes e bênção com o Santo Lenho.

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.