Exames/Secundário: Notas descem mas públicas aproximam-se da média no privado

Posted by

As notas nos exames nacionais desceram, mas os resultados dos alunos das escolas públicas estão mais próximos dos colégios e subiram ligeiramente no ‘ranking’ geral elaborado pela Lusa.

A escola pública com melhores resultados nos exames nacionais do secundário em 2021 foi a Escola Artística António Arroio, em Lisboa, segundo uma análise da Lusa a dados disponibilizados pelo Ministério da Educação, tendo em conta apenas estabelecimentos de ensino com mais de cem provas realizadas.

Numa listagem que junta os 487 estabelecimentos de ensino públicos e privados, os primeiros lugares voltam a ser ocupados por colégios aparecendo em 31.º lugar a primeira pública, a António Arroio, em Lisboa, com uma média de 13,58 valores nas 875 provas.

Em relação ao ano anterior, os estabelecimentos de ensino público sobem três lugares na tabela geral da Lusa.

No ano passado, as classificações médias mais elevadas nos exames foram obtidas precisamente pelos alunos do curso de Artes Visuais, variando entre os 14 e os 10 valores.

Na lista das escolas públicas, destaca-se outra escola artística: a Soares dos Reis, no Porto, é a segunda pública com melhor média nos exames nacionais, com 13,35 valores, ocupando o 34.º lugar da tabela geral.

Pelo segundo ano consecutivo, devido à pandemia de covid-19, os exames nacionais de 2021 tinham várias perguntas opcionais e as provas serviam essencialmente para acesso ao ensino superior. No entanto, no ano passado, houve menos perguntas opcionais e as notas médias baixaram.

Mas nas escolas públicas a descida média foi menos sentida aproximando-se um pouco mais da média dos privados, agora com uma diferença de 1,4 valores (no ano anterior foi de 1,5 valores).

A média nos colégios foi de 12,7 valores (em 2020 foi 14,3) e das públicas foi de 11,3 valores (12,8 no ano anterior), segundo a análise da Lusa.

Com mais itens de resposta obrigatória e menos perguntas opcionais em número e valorização, aumentaram as “chumbos”: Das 487 escolas observadas, 41 obtiveram média negativa nos exames realizados pelos seus alunos, ou seja, 91,6% tiveram média positiva.

Olhando apenas para as 416 escolas públicas analisadas, 38 “chumbaram”, e entre as 71 privadas, houve três “negativas” nas médias nacionais.

A percentagem de escolas públicas com nota positiva desceu de 99% em 2020 para 91,6% no ano passado.

No fim da tabela, com médias mais baixas, surgem escolas da área metropolitana de Lisboa, em Loures, Barreiro, Almada e Amadora.

O topo do ‘ranking’ geral volta a ser ocupado por estabelecimentos de ensino particulares e cooperativos e no 1.º lugar surge o Colégio Efanor, em Matosinhos, com uma média de 16,16 valores nas 107 provas. São 2,58 valores que separam a melhor média da escola pública da melhor média privada.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.