Covilhã faz balanço positivo da Linha da Beira Baixa e reivindica mais comboios

Posted by

O presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira, classificou como “claramente positiva” a abertura do troço ferroviário entre aquela cidade e a Guarda, mas também reivindicou mais ligações para a região.

Em declarações à agência Lusa, a propósito da reabertura do troço Covilhã/Guarda na Linha da Beira Baixa, cuja viagem inaugural se realizou há um ano, o autarca socialista apontou que foi com “muito agrado” que assistiu ao retomar das ligações diárias regulares entre estas duas cidades da Beira Interior.

“Estas ligações vêm melhorar as acessibilidades e condições de mobilidade de e para a Covilhã e a região através de um meio de transporte mais amigo do ambiente”, afirmou.

Lembrando que, desde o início do seu primeiro mandato, tem procurado sensibilizar a tutela e a CP quer daquele troço da linha, quer da necessidade de reforçar a oferta, Vítor Pereira reafirmou que são precisos mais serviços para tirar o devido partido do investimento que foi feito.

Tal como já tinha feito na cerimónia oficial da inauguração do troço, Vítor Pereira voltou a reivindicar a criação de um serviço suburbano, que garanta as ligações entre a Guarda, Belmonte, Covilhã, Fundão e Castelo Branco.

Defendeu igualmente a concretização do investimento necessário para reduzir o tempo de viagem entre a Covilhã e Lisboa das atuais três horas e vinte minutos para duas horas e quarenta minutos.

O autarca disse esperar ver concretizadas as ligações desta cidade a Coimbra e ao Porto, que já foram anunciadas e que devem ser criadas após a conclusão das obras da Linha da Beira Alta, uma vez que será um serviço feito através da concordância entre as duas linhas.

A criação de ligações regulares a Espanha (nomeadamente a Salamanca) a reativação dos serviços Sud Expresso e Lusitânia são outras das reivindicações que apresenta.

“Aguardo com expectativa que estes contributos e reivindicações possam ser acolhidos no âmbito do serviço prestado e do Plano Nacional Ferroviário 2030”, disse.

O troço da Linha da Beira Baixa, entre a Guarda e a Covilhã, reabriu ao serviço comercial no dia 02 de maio de 2021 e foi inaugurado no dia 04 pelo ministro das Infraestruturas Pedro Nuno Santos.

O troço ferroviário estava fechado desde 2009 e reabriu no ano passado após obras de requalificação e de eletrificação.

O investimento total no projeto de modernização do troço foi de cerca de 77 milhões de euros.

A obra integrou, entre outros trabalhos, a renovação integral de 36 dos 46 quilómetros do troço (dez já estavam intervencionados), bem como a reabilitação de seis pontes centenárias, a remodelação de estações e apeadeiros, drenagem e estabilização de taludes e a iluminação e automatização e supressão de passagens de nível.

Na data da reabertura da via, a CP referiu em comunicado que passou a existir uma “oferta integrada” dos serviços Intercidades e Regional das Linhas da Beira Baixa e Alta, uma vez que os comboios têm paragem em todas as estações e apeadeiros entre a Guarda e a Covilhã.

Para incentivar a mobilidade regional no novo percurso, o preço aplicado nas viagens entre as duas cidades “é sempre de tarifa Regional, quer os clientes viajem em Serviço Intercidades ou Regional”, acrescentava a fonte.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.