Vila Nova de Poiares: “O nosso parque industrial necessita de um acesso ao IP3”

FOTO DB/ANA FERREIRA

Dia 13 é o Dia do Município de Vila Nova de Poiares. Este ano, com a pandemia ainda bem vincada na nossa sociedade, de que forma vão ser feitas as celebrações?
As celebrações vão ser presenciais para 90 pessoas que convidámos. Foi o número máximo que as autoridades de saúde deixaram. O resto da população pode ver as cerimónias via online. Infelizmente ainda não é este ano que vamos voltar a ter o 13 de janeiro normal que nos habituámos e abrir a cerimónia a todo o município.
Ainda assim, vamos assinalar o dia do município e os 124 anos da restauração definitiva.

Uma cerimónia com discursos…
Com os discursos que se aconselham nesta altura, com homenagens a pessoas que o merecem e lançando os objetivos para os próximos anos. São cerimónias que vão dignificar o feriado municipal e o município.

Quais os objetivos que se podem destacar nos próximos anos?
Estamos num período de transição. Estamos a concluir o quadro comunitário Portugal 2020 e a começar outros dois. Além do já previsto Portugal 2030, excecionalmente, devido à covid-19, temos também o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) que nos dá um conjunto de oportunidades. É também um ano em que se vai concluir a transição de competências nas áreas da saúde, ação social e na educação, do poder central para o poder municipal.

Entrevista completa nas edições impressa e digital do DIÁRIO AS BEIRAS

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.