Projeto quer dar “um primeiro palco” a músicos emergentes da região de Coimbra

Posted by

A produtora Blue House, em colaboração com o Convento São Francisco, lançou a convocatória para o Música Independente de Coimbra (MIC), um projeto que pretende dar “um primeiro palco” a artistas e grupos emergentes da região, foi hoje anunciado.

A iniciativa, inserida no âmbito do ciclo de showcases “Café Curto”, que arrancou em outubro de 2020 no Convento São Francisco, tem aberta uma convocatória para projetos com músicas originais, que vão integrar a agenda de 2022 do ciclo, afirmou a produtora de Coimbra Blue House, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

Para além da possibilidade de os projetos selecionados poderem tocar no Café Concerto do Convento São Francisco, os grupos vão poder participar em oficinas formativas de introdução à indústria musical, gravar um tema original no estúdio da Blue House, produzir um videoclip e realizar uma sessão fotográfica, acrescentou.

Apenas podem inscrever-se na convocatória projetos cujos elementos tenham mais de 16 anos e sejam naturais ou residentes de um dos 19 municípios da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, referiu a produtora.

As inscrições estão abertas até 29 de junho de 2022 (disponíveis em https://bit.ly/3m6av5P) e serão selecionados entre quatro a sete projetos.

A ideia de criar o MIC surgiu a partir do “Café Curto”, ciclo onde já foram realizados mais de 30 concertos, muitos deles de artistas emergentes que tiveram ali um primeiro momento de apresentação dos seus projetos, contou à agência Lusa Ricardo Jerónimo, um dos responsáveis da Blue House.

“Pareceu-nos que este projeto seria um bom complemento e, em vez de ter apenas algumas datas com projetos que vão literalmente estrear-se, irmos para além disso”, frisou.

O projeto acaba por ir mais longe, dando “as ferramentas para capacitar músicos que estão a começar um projeto”.

“Por estarem a começar, se calhar não têm um videoclip, não têm uma música gravada, não têm uma sessão fotográfica”, notou Ricardo Jerónimo, salientando que o MIC pode ajudar a lançar a carreira musical de projetos embrionários.

Segundo o responsável, não há qualquer limitação de géneros artísticos, mas as candidaturas devem ter em conta uma formação e tipo de som que se adapte ao Café Concerto do Convento São Francisco.

O projeto está fechado para o primeiro semestre de 2022, mas Ricardo Jerónimo sublinhou que esta é uma iniciativa que pretendem que tenha continuidade para lá do próximo ano.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.