Reitor da Universidade de Coimbra ameaça processar abusos na praxe

FOTO DB/PEDRO RAMOS

O reitor da Universidade de Coimbra (UC) “não autoriza a praxe nem proíbe a praxe” porque diz que esta matéria não é da sua competência. No entanto, ontem durante a sessão de acolhimento aos novos alunos da instituição, Amílcar Falcão deixou um aviso: “se houver alguns casos de excesso, eu serei informado e abrirei um processo disciplinar. Não há espaço dentro da UC – nem fora dela –, para andarmos com selvajarias”.

O reitor lembrou ainda que a praxe não é obrigatória na UC e que estudantes são “absolutamente livres” de escolher se querem ou não ser praxados.

“Temos uma universidade onde queremos transparência, equidade, inclusão, queremos o respeito de todos em relação a todos, liberdade de pensamento e de expressão e, portanto, não há espaço para nenhum tipo de praxe que extravase a relação de amizade dentro das instalações na UC”, disse, lembrando que, pelos menos nos últimos 10 anos, “não houve nenhum problema com a praxe em Coimbra”.

Amílcar Falcão aproveitou para lembrar que também haverá tolerância zero para qualquer tipo de discriminação. “Aqui somos todos iguais e todos diferentes e, portanto, não há espaço para nenhum tipo de discriminação seja ela qual for”, advertiu.

Versão completa na edição impressa e digital do DIÁRIO AS BEIRAS

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.