Mulher detida dois dias depois do companheiro por atearem fogos florestais

Uma mulher suspeita de ter ateado sete incêndios florestais no concelho de Coimbra, em agosto, foi hoje presa preventivamente, anunciou a Diretoria do Centro da Polícia Judiciária (PJ).

A arguida, de 51 anos, divorciada e desempregada, foi presente a primeiro interrogatório judicial tendo sido sujeita à medida de coação de prisão preventiva, afirmou a Diretoria do Centro, em nota de imprensa. A mulher tinha sido detida pela PJ na terça-feira, por suspeita da prática de sete crimes de incêndio florestal na freguesia de Cernache, no concelho de Coimbra, referiu.

A suspeita terá atuado em coautoria com o seu companheiro, tendo ateado incêndios em zonas com “vasta mancha florestal, com continuidade vertical e horizontal, confinante com zona urbana, com áreas ardidas de cerca de um hectare”, acrescentou.

Fonte da PJ esclareceu  que o companheiro da arguida já tinha sido detido há dois dias, tendo também sido sujeito a prisão preventiva, pelos mesmos factos. Na nota de imprensa, a Diretoria do Centro realça que “os incêndios teriam proporções mais gravosas caso não tivesse havido uma rápida intervenção dos meios de combate”.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.