OMT fica mais acessível com audiodescrição

FOTO DB/ANA FERREIRA

A Oficina Municipal do Teatro (OMT) vai tornar-se mais acessível. À Língua Gestual Portuguesa, já a ser utilizada em sessões há dois anos, vai juntar-se agora a audiodescrição.

A novidade foi ontem divulgada na apresentação da nova temporada do Teatrão, pela diretora artística, Isabel Craveiro.
Inclui a aquisição de uma cabine móvel (apoiada pela Gulbenkian) que permite narrar o que está a ser apresentado, quando a visão não consegue captá-lo. O público segue a audiodescrição com auscultadores.

Isabel Craveiro sublinha que o teatro esteve vedado às pessoas cegas e com baixa visão, público que vai poder ser trabalhado pelo Teatrão. A diretora artística da companhia aponta que este é um “serviço ainda relativamente raro” e que não existem audiodescritores na região Centro.

Versão completa na edição impressa e digital do DIÁRIO AS BEIRAS

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.