Opinião: Ousar ser e fazer diferente

Posted by

A inovação tem de estar no centro da nossa atividade como país. Uma forte política de inovação tem efeitos colaterais em todas as nossas áreas de atividade: no ensino, na investigação, na ciência, na resiliência, na nossa organização social, económica e política e na capacidade de reinventar o futuro. Só existe inovação com a geração de conhecimento avançado, isto é, só existe inovação com forte investimento na investigação (em todas as áreas de saber), na cultura e na valorização da transposição de conhecimento para a sociedade, para a economia e para as empresas.

Do ponto de vista de uma Universidade tudo isto é estratégico. De facto, uma Universidade centrada na Ciência, na geração de Conhecimento e na prática da Inovação tem a ambição de liderar processos de TRANSFORMAÇÃO, seguindo uma estratégia assente num ambiente de colaboração aberto, dinâmico e multidisciplinar, como forma de responder aos desafios colocados a nível global. A concretização desta visão é essencial para o futuro da Universidade de Coimbra, mas também da região e do país.

Gerar conhecimento significa liderar e participar em atividades de investigação e desenvolvimento e inovação (I&D&I) competitivas, ser capaz de responder aos desafios atuais da sociedade, justamente pela aplicação de conhecimento residente e diferenciador – e com isso promover o impacto da evolução científica nas transformações sociais e tecnológicas necessárias para um futuro sustentável. A capacidade de geração de conhecimento e de atrair fundos e investimento competitivos em investigação e desenvolvimento e inovação (I&D&I), são dois dos indicadores de desempenho em que a Universidade se deverá focar, enquanto abraça os desafios económicos, sociais e ambientais das próximas décadas.
Ser relevante na aplicação de conhecimento e tecnologia (Inovação), significa liderar iniciativas diferenciadoras com a sociedade, a indústria e a economia que conduzam a novos produtos, novas plataformas tecnológicas, novos processos, novas formas de desenvolvimento que demonstrem geração de valor respeitando critérios de sustentabilidade. Esta estratégia exige uma atitude solidamente comprometida com a sociedade, a indústria e a economia. Isso significa encorajar a cooperação e estabelecimento de parcerias, ser eficaz na capacidade de atrair apoio e financiamento competitivo de empresas e instituições de promoção da cooperação Universidade-Indústria.

Liderar na difusão da ciência e do conhecimento pela sociedade, significa sensibilizar o cidadão comum para a ciência e tecnologia, desconstruindo a pseudociência e o obscurantismo, e promovendo uma atitude mais comprometida na divulgação de avanços científicos, resultados de inovação e do respetivo impacto económico e social de novos conhecimentos.

Foi com este enquadramento que a Universidade de Coimbra lançou a iniciativa “Inovação@UC, organizada pela Comissão de Inovação, Serviço e Relação com a Comunidade do Conselho Geral da Universidade de Coimbra. É uma iniciativa que se repetirá anualmente, pretendendo colocar a INOVAÇÃO no centro da atividade da Universidade de Coimbra (UC). Em apresentações muito curtas ( 15 minutos), os participantes poderão conhecer vários projetos em destaque na Universidade de Coimbra, mas também, de várias empresas e outras instituições de I&D&I nacionais e estrangeiras. Existirão ainda períodos de contacto (networking), nos quais será possível trocar experiências e fazer ligações para o futuro.

Apesar de não ser essa a imagem pública, a verdade é que a Universidade de Coimbra lidera iniciativas diferenciadoras com a sociedade, a indústria e a economia que pretendem conduzir a novos produtos, novas plataformas tecnológicas, novos processos, novas formas de desenvolvimento que demonstrem geração de valor respeitando critérios de sustentabilidade. Esta estratégia exige uma atitude solidamente comprometida com a sociedade, a indústria e a economia. Isso significa encorajar (também internamente e na forma como somos avaliados) a cooperação e estabelecimento de parcerias, ser eficaz na capacidade de atrair apoio e financiamento competitivo de empresas e instituições de promoção da cooperação da Universidade com as empresas, a economia e a sociedade. Ver mais em inova.uc.pt.

 

Norberto Pires escreve ao sábado, semanalmente

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.