Opinião: Cultura e culturas na região Centro

Posted by

Falar de cultura não é propriamente fácil mas falar de cultura na região Centro do país e em 2.500 caracteres é bem mais difícil.
Ora, aquilo que somos como grupo, como país ou como região depende de um conjunto de referências territoriais, arquitectónicas, linguísticas, religiosas, musicais, artísticas, gastronómicas e até indumentárias.
A esse conjunto de referências, assumidas globalmente, denomina-se cultura e como rede de afectos e valores deve ser constantemente preservado.
A importância da cultura, pelo seu enorme potencial, é determinante não só pelo seu valor intrínseco como pelo seu valor económico, dado que representa cerca de 2% do valor acrescentado bruto da economia portuguesa. São inúmeras as empresas que vivem de e para a cultura, empregando dezenas de milhares de pessoas. Daí a necessidade de tratar a cultura como actividade económica e de melhorar a promoção das referências culturais existentes e de as promover junto sobretudo de quem nos visita, sejam nacionais ou estrangeiros. De notar que o sector cultural apesar de ter vindo a aumentar a sua contribuição para o PIB português, pode aumentar muito mais se lhe for dada maior atenção por parte do governo central e do poder local.
Quanto maior for a valorização da cultura, maior será o seu efeito no sector do turismo, uma das actividades que mais gera riqueza e emprego nos nosso país.
A pandemia que ainda nos assola tem demonstrado uma enorme quebra na procura interna e externa, com a consequente quebra de receitas, quer no alojamento turístico quer na restauração e é visível o seu reflexo na população.
De notar que em 2019 o sector cultural representou 4,4% do PIB da União Europeia em termos de volume de negócios, com receitas anuais de 643 mil milhões de euros, sendo um dos maiores promotores de empregos, constituindo assim uma enorme alavanca para a recuperação económica post Covid.
Ora, a região centro do país é profundamente rica em história e cultura, tendo uma identidade que a distingue do resto do território nacional. Influenciada pela cultura romana e árabe bem como por diversas religiões, são visíveis no seu território vestígios monumentais, tradições e costumes cuja descoberta é apetecível a quem nos visita.
O Centro de Portugal abrange cem municípios, de Castelo Branco até Viseu e Aveiro, da serra da Estrela à Covilhã, Bussaco até ao litoral, passando por Tomar, Óbidos, Alcobaça e Batalha, de Coimbra a Leiria e Caldas da Raínha, de Belmonte a Viseu, da Figueira da Foz a Peniche, Nazaré e São Martinho do Porto, circuitos entremeados por aldeias históricas, turismo de natureza, gastronomia diversificada e ambientes diferentes. Sem falar de Fátima, altar do mundo!
Viajar na região centro do país e descobrir a sua cultura e idiossincrasia, permite conhecer melhor as nossas origens e solidificar o afecto que devemos nutrir pelo passado com base no qual devemos construir o presente e preparar o futuro.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.