Jorge Conde: “Gostaria de construir a nova ESEC e a Escola Superior de Turismo neste mandato”

DB-Pedro Ramos

Faz ideia de qual é o volume financeiro que terá disponível para obras e requalificação do património neste quadriénio?
Não. E não por uma razão: vai depender daquilo que o PRR – Plano de Recuperação e Resiliência nos ajudar a fazer. O que posso dizer é que já estamos a trabalhar numa residência para 500 camas, no campus de Bencanta. Ainda estamos a avaliar, com os pareceres da escola e do Conselho Geral, qual é o melhor sítio para fazer uma nova construção. Esta residência terá diversos serviços anexos, como as outras residências já têm, mas terá também um conjunto de serviços pouco comuns em residências, nomeadamente um refeitório e um espaço ligado à área do desporto. A ideia é que os estudantes, nesse edifício, tenham tudo menos as aulas. O que significa que num próximo confinamento, se o futuro nos obrigar a isso, os estudantes, tendo aulas à distância, terão condições para fazer tudo na residência sem sair do edifício. Esse é o primeiro grande projeto, já há uma base orçamental para isso, que rondará os 7,5 milhões, mais IVA. É o projeto mais adiantado dos que dependem do PRR.

O outro é a Escola Superior de Educação?
O segundo projeto que queremos fazer é uma nova Escola Superior de Educação (ESEC).

|Leia a entrevista na edição de hoje do Diário As Beiras

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.