Basófias corre o risco de não navegar este ano

Posted by

O arranque das obras no Parque Manuel Braga ditou o fim do local de embarque para o Basófias. Desde então, a empresa responsável – Odabarca – e o município de Coimbra têm tentado encontrar uma solução que permita o regresso à navegação da embarcação turística.
Segundo João Madeira, presidente da Odabarca, as duas entidades estudaram várias hipóteses, mas a solução que está em cima da mesa passa pela colocação de uma infraestrutura flutuante na Praça da Canção (ou seja, na margem esquerda) para que o barco ali possa parar e, desta forma, acolher os interessados em fazer a viagem entre a Ponte Pedonal Pedro e Inês e a Ponte Açude. “Trata-se de uma infraestrutura que ronda os 40 mil euros e, neste momento, a empresa não dispõe de liquidez para esse investimento”, afirmou o responsável. Desta forma, a empresa e a autarquia estão a conversar para tentar encontrar uma solução que sirva as duas entidades. É que, como recordou, “o nosso período mais forte de funcionamento acontece entre abril e setembro”. “Temos de encontrar uma solução o mais rapidamente possível, pois se a opção for a colocação daquela infraestrutura ainda vão ter de ser feitas algumas obras no local”, afirmou.

Notícia completa na edição impressa e digital do DIÁRIO AS BEIRAS

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.