Coimbra vai ter plataforma de gestão escolar para 16 mil alunos de todos os níveis de ensino

A Câmara Municipal de Coimbra vai adquirir uma plataforma de gestão escolar integrada e apostar na reabilitação do Bairro da Fonte do Castanheiro, além de atribuir apoios à produção energética fotovoltaica, foi hoje, domingo, anunciado.

Em comunicado, o município presidido por Manuel Machado explica que estes três pontos integram a ordem de trabalhos da reunião do executivo, que está marcada para amanhã, segunda-feira.

Segundo a informação, a abertura do concurso público internacional para a aquisição da plataforma tem um preço base de 598 mil e 800 euros (acrescido de IVA) e visa uma gestão mais simples, eficaz, uniformizada e em tempo real com as escolas.

“Esta plataforma, que surge no âmbito da descentralização de competências no domínio da Educação que passaram da administração central do Estado para a autarquia em 2021, é também uma medida de desburocratização de procedimentos, uma vez que vai permitir que os alunos e encarregados de educação tenham maior facilidade ao nível de transportes escolares, alimentação, atividades de enriquecimento curricular e outros apoios disponibilizados às famílias”, é referido.

O serviço deverá ter em conta o número estimado de 16 mil alunos do pré-escolar ao ensino secundário e profissional, 650 assistentes operacionais e técnicos, 800 docentes ou técnicos especializados e 17 equipamentos e software de gestão escolar, necessários para os agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas do concelho.

Outro dos assuntos em análise na sessão do executivo prende-se com a reabilitação do Bairro da Fonte do Castanheiro, junto à Arregaça, para a qual já há projetos de arquitetura aprovados.

A intervenção prevê investimento superior a quatro milhões de euros, sendo o próximo passo a abertura de um concurso público para a execução da empreitada.

Inserida na Estratégia Local de Habitação (ELH) aprovada para a próxima década, a obra tem como objetivo intervir em 68 habitações municipais existentes, de forma a criar 54 novas habitações camarárias, já que algumas destas habitações são bifamiliares e serão unificadas para que cumpram os requisitos legais de habitabilidade.

A atribuição de apoios a incentivos à produção de energia fotovoltaica é outro dos pontos da agenda, com o executivo a analisar e votar uma proposta para atribuição do valor global de 4.750 euros às nove candidaturas apresentadas para a aquisição de sistemas de produção e armazenamento de energia elétrica fotovoltaica para autoconsumo.

A autarquia tem ainda a decorrer um segundo período de candidaturas, que só terminará quando estiver esgotada a dotação disponível que, neste momento, se cifra em 166.250 euros.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.