“Buzinão de revolta” contra corrupção faz-se ouvir em Viseu

Posted by

As principais ruas de Viseu assistiram hoje, domingo, a um desfile em marcha lenta, com mais de 100 automóveis, num “buzinão de revolta contra a podridão social e corrupção”, disse um dos organizadores do evento que também aconteceu em Lisboa.

“Em função dos acontecimentos desta semana, motivo de tanto mediatismo e tanta polémica, achámos que devíamos manifestar o desagrado, não em relação a pessoas e à justiça. É um buzinão de revolta contra esta podridão social e esta corrupção que o sistema alimenta”, explicou à agência Lusa Fernando Figueiredo.

Este cidadão viseense contou que a ideia foi começando a ser partilhada nas redes sociais e, “de repente, engrossou e as partilhas foram tantas que apareceram mais de uma centena de carros” e a meio do percurso “juntaram-se mais alguns” ao desfile.

“Numa cidade que está sempre amorfa, é um número de participantes fantástico”, considerou Fernando Figueiredo que disse que a ideia “chegou a Aveiro, Porto e Lisboa, e havia concentrações marcadas para a mesma hora”, nas principais avenidas das cidades.

Este responsável quer que “Lisboa não ignore o país e que perceba que é preciso dar prioridade às questões da justiça, para que seja igual para todos, porque não é possível continuar a ter um Estado de direito que está refém daqueles que dispõem dos maiores recursos”.

“É altura de o Governo dar atenção ao combate à corrupção, ao crime do colarinho branco e à criminalidade económica e financeira, porque é isto que tem empenhado ano após ano o nosso futuro e que não nos deixa sair desta podridão em que nos encontramos”, defendeu.

A volta, que durou cerca de uma hora, “foi devidamente pensada para não incomodar muito” os viseenses, e “a Câmara e a PSP foram devidamente informados” da ação. No final da iniciativa, que “decorreu sem problemas”, “só foi pedida a identificação ao primeiro da fila”, neste caso, a Fernando Figueiredo.

One Comment

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.