Todas as escolas vão ficar abertas, afirma António Costa

Posted by

António Costa acaba de anunciar que vamos regressar ao confinamento que tivemos em março e abril e que as exceções existem, mas “a regra é ficar em casa”.

O primeiro-ministro revelou que, como nessa fase, haverá possibilidade de trabalhar, de fazer passeios higiénicos ou de ir à mercearia, mas é fundamental que a população entenda a importância de não sair.

Sobre as aulas, “vamos manter em pleno funcionamento todos os estabelecimentos educativos como têm estado a funcionar até agora”. Esta é “a única nova e relevante exceção”, afirma o governante.

Quanto ao teletrabalho é imposto sem ter de haver acordo com entidade patronal e trabalhador, é sempre obrigatório quando possível. “E para assegurar que e cumprido, é muito grave a coima de violação desta obrigação”, diz.

Relativamente às coimas previstas de violação das normas relativas à pandemia — como, por exemplo, não usar máscara na via pública — “são duplicadas”, anuncia António Costa.

No que diz respeito às medidas económicas vão ser alargadas e que as atividades encerradas voltam a ter acesso ao lay-off simplificado.

António Costa afirma que “a vida não tem preço” e que o preço que se está a pagar com as mortes é incalculável. Por isso, a partir das 00H00 do dia 15 de janeiro (sexta-feira) entram em vigor todas as novas (velhas) regras.

“Por uma vez, não percamos muito tempo a olhar para as exceções e concentremo-nos no confinamento”, alerta.

O primeiro-ministro disse ter consciência das “enormes consequências” do confinamento geral, mas diz que também sabe “que o custo da vida humana não em preço”. “Temos mesmo de dar um passo atrás e voltar ao confinamento”, afirma Costa.

(em atualização)

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.