Opinião: À Mesa com Portugal – um mundo às escuras