UC lança projeto “inspirador” em tempo de pandemia

FOTO DB/PEDRO RAMOS

Em Portugal, a percentagem de pessoas com mais de 15 anos que participaram em pelo menos uma ação voluntariado é de 7,8 por cento. Um número que, de acordo com Filipe Almeida, presidente da Portugal Inovação Social, diminui para os 6,4 por cento quando se trata de voluntariado formal (realizado em grupos ou organizações). Ou seja, três vezes menos do que a média europeia, que é 19,3 por cento.
“Temos um défice de participação voluntária que é necessário contrariar”, disse ontem Filipe Almeida, presidente da Portugal Inovação Social, ao intervir no lançamento do projeto-piloto UC Transforma, que visa articular e dinamizar ações na área do voluntariado através de uma plataforma digital.
Na sessão, o ministro da Ciência, Manuel Heitor, não deixou de registar o “défice de participação” e apelou ao envolvimento da comunidade académica em geral, sobretudo aos estudantes do ensino superior, neste tipo de ações.
Para o governante, a cultura “que se difunde para além da sala de aula” reforça a intervenção dos jovens nas áreas cívicas, o que o leva a acreditar que o Movimento Transforma Portugal e o projeto-piloto UC Transforma “são inspiradores”, desde logo no contexto da pandemia da covid-19.

Notícia completa nas edições impressa e digital do DIÁRIO AS BEIRAS

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.