Opinião: Piscina-mar

Posted by

Se a concessão falhar, que deve a autarquia fazer com a piscina-mar?

No país, e na Figueira em particular, temos absoluta necessidade de examinar os erros cometidos na gestão dos bens públicos. Isto para não os perpetuar, como parece que está a acontecer em muitas áreas. Os desafios do seculo XXI , desde a gestão da piscina mar até à limpeza dos passeios, devem ser vistos à luz das necessidades do tempo atual, e não prolongando ad aeternum modelos que não funcionam.

Este problema dos modelos de exploração, e a teia jurídica complexa e muito vulnerável à litigância, é um desafio complicado quando se pretende a rentabilização da piscina mar construída em 1953, imóvel protegido, e propriedade da Câmara Municipal. Os privados querem lucro, logo exigem um complexo turístico com alojamento e não a piscina como espaço de lazer. Contudo, esta pretensão de ali criar mais alojamento foi recentemente negada em nome da defesa do património e identidade arquitetónica, voltando-se presumivelmente ao início do processo. Dificilmente a piscina só por si terá interesse comercial.

O que fazer se mais uma vez as tentativas de rentabilização falharem? Pensar diferente é a minha sugestão. Procurar ideias arrojadas e como se diz agora “fora da caixa”, dentro do pressuposto que a piscina mar é um património a preservar e valorizar pela utilização. Inequivocamente a dificuldade em rentabilizar a piscina mar do ponto de vista comercial conduz-nos a ter que subsidiar a sua abertura ao público. Já pagamos o funcionamento de outras piscinas (Alhadas, Paião, etc.) que não são rentáveis, por isso, é lógico esperar que a piscina mar tenha que ser subsidiada.

Ambicionar uma piscina mar aberta todo o ano, com ou sem cobertura amovível, com sócios (os figueirenses que cá residem…) e uma utilização intensa e diferenciada (verão vs- inverno), requalificando a envolvente (a rua Santa Catarina, rua Maestro David de Sousa estão em mau estado, especialmente do ponto de vista pedonal….) e recriando o espaço à luz do ano que vivemos 2020!

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.