Zona ribeirinha de cara lavada dentro de ano e meio

Foto DB |e| Miguel Almeida

Arranca já hoje a empreitada de requalificação do espaço público na margem direita do rio Mondego, entre a Ponte de Santa Clara e o Açude-Ponte de Coimbra.
Consignada formalmente ontem à tarde, a obra terá o custo de aproximadamente dez milhões de euros – 85 por cento deste valor é financiado por fundos comunitários e os outros 15 por cento são assegurados pelo Município de Coimbra – e ficará à responsabilidade da empresa Alberto Couto Alves, S.A..
Esta terça-feira, na cerimónia de consignação, Manuel Machado apresentou o projeto como “mais uma peça no puzzle estratégico que está a ser montado para a cidade”. “Casar as duas margens” e reconciliar Coimbra com o rio Mondego são os objetivos da intervenção, interrompida no ano passado devido à insolvência de uma das empresas que compunha o consórcio a quem, inicialmente, a obra foi confiada.

 

Notícia completa na edição impressa e digital do DIÁRIO AS BEIRAS de 19/08/2020

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.