Três drones vão fazer vigilância a partir da Lousã

FOTO DB/CARLOS JORGE MONTEIRO

Três aeronaves não tripuladas (UAV) vão começar a fazer vigilância para deteção de incêndios rurais na área abrangida pelo Aeródromo da Lousã.
Os equipamentos foram ontem apresentados no âmbito de uma visita do ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, do ministro do Ambiente e Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, e da secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar.
O Estado adquiriu 12 drones, dos quais sete vão atuar em três bases de operações (também Macedo de Cavaleiros e Fóia) e outros três vão estar alocados à base de formação da Ota. Os restantes dois ficam de reserva, explicou.
As aeronaves atribuídas à Lousã são duas de asa fixa mais uma de descolagem e aterragem vertical (VTOL).

Testes até fim de agosto
Neste momento, está a decorrer a fase de testes dos equipamentos que, no caso da Lousã, deverá estar terminada a 17 de agosto. Os restantes terminam esse processo até ao final do mês, esclareceu João Gomes Cravinho.
Esta aquisição constituiu um investimento de 4,5 milhões de euros financiado pelo Fundo Ambiental. Trata-se ainda de tecnologia nacional.
As aeronaves registam imagens aéreas que se destinam, principalmente, a ser utilizadas pela GNR e ANEPC (Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil) assim como pelas várias entidades que colaboram com esta última.

Notícia completa nas edições impressa e digital

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.