Góis: Cedência de veículos fora de serviço gera críticas aos bombeiros

FOTO DR

A cedência de dois veículos inoperacionais ao Museu dos Bombeiros, que está a ser criado em Penela, foi o principal assunto da última Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Góis, após ter gerado críticas e insultos aos seus dirigentes e elementos.
Em causa está uma ambulância Citroen DS Break e um pronto-socorro de combate a incêndios Bedford cuja cedência já tinha sido comunicada a associados e comunidade.
Esta foi uma decisão tomada por unanimidade na direção da associação.
Nesse mesmo comunicado, o órgão explica que se trata de veículos que “pelo seu avançado estado de degradação, já não estavam ao serviço operacional”. “O valor da sua reparação seria bastante avultado para colocá-los prontos para uma exposição e/ou desfile”, acrescenta. Adicionalmente, “o corpo de bombeiros já não tem espaço para toda a sua frota” e “não existe nenhum local de exposição apropriado para manter os referidos veículos, ainda que restaurados, no nosso concelho”.
No entanto, a cedência não foi feita sem condições. Os dirigentes referiram que “os veículos não podem ser vendidos a terceiros” e que, “quando recuperados, têm de manter as linhas originais e o nome do Corpo de Bombeiros de Góis”. Para mais, quando solicitados, “vêm a exposições e/ou desfiles promovidos pela Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Góis e/ou em sua representação”, até porque têm “valor histórico e emocional”.

Notícia completa nas edições impressa e digital

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.