Covid-19: Pinhel cancela prova internacional de ‘drift’ sob protesto

Posted by

FOTO CÂMARA MUNICIPAL DE PINHEL

A Câmara de Pinhel e o Clube Escape Livre (CEL) cancelaram uma prova do Campeonato de Portugal e da Taça Internacional de ‘drift’, agendada para os dias 22 de 23, contestando a proibição de realizar a iniciativa com a presença de público.

A organização solicitou à Direção-Geral da Saúde (DGS) para que 2.000 pessoas pudessem entrar no circuito onde decorreria a prova de automobilismo, mas a DGS informou o município de que a presença de pessoas não era autorizada.

“O critério para a autorização dos eventos não pode deixar de ser único e aplicável a todo o país. A DGS não pode ter critérios distintos para situações semelhantes”, protesta a autarquia, num comunicado subscrito também pelo CEL.

Inconformadas com a decisão, as duas entidades afirmam que “o Governo não pode, por ação ou omissão, fazer uma gestão discricionária da situação”, neste caso no distrito da Guarda, no interior do país.

“Duas semanas após a data para a qual se encontravam agendadas, na cidade de Pinhel, as provas da Taça Internacional e do Campeonato de Portugal de Drift, vai realizar-se a Festa do Avante”, no concelho do Seixal, iniciativa na qual o PCP espera “dezenas de milhares de participantes”, comparam na nota conjunta.

Face à pandemia da covid-19, a Câmara de Pinhel, juntamente com o Clube Escape Livre, o Clube Automóvel do Minho e a Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, elaboraram um plano de contingência que incluía várias medidas para travar o risco de contágio pela doença.

A redução da lotação do espaço reservado ao público “em mais de 70% da sua capacidade habitual, com a previsão de autorização de entrada de 2.000 pessoas”, era uma das propostas, além de outras, relacionadas com a higienização das mãos, o uso de máscara, a criação de “circuitos diferenciados de entrada e saída com circulação unidirecional” e a contratação de efetivos da GNR e de segurança privada “para a verificação da correta utilização da máscara e do cumprimento do distanciamento social”.

Perante a recusa da DGS de entrada de pessoas no circuito, a autarquia solicitou aos ministros da Administração Interna e da Saúde, Eduardo Cabrita e Marta Temido, respetivamente, um despacho conjunto que viabilizasse a realização da prova com a presença máxima de 2.000 pessoas.

“Não obstante as diversas tentativas de obtenção de uma resposta ao pedido efetuado, a verdade é que até à hora do envio do presente comunicado não conseguiu o município obter uma resposta”, lamenta a câmara, realçando que as competições de desporto automóvel na modalidade de ‘drift’, promovidas em Pinhel desde 2016, são encaradas como “oportunidade para captar os amantes da velocidade e, dessa forma, dinamizar o concelho e a economia local”.

A autarquia, presidida pelo social-democrata Rui Ventura, recorda que, em julho, na Marinha Grande, decorreram “provas da mesma modalidade” e que a DGS “autorizou a presença de público, existindo uma total e inaceitável alteração de critérios”.

“Portugal, mais concretamente a região do Algarve, vai receber nos próximos meses de outubro e novembro provas internacionais de Fórmula 1 e de Moto GP, para as quais estão já vendidos largas dezenas de milhares de bilhetes”, acentua.

Para o presidente do Clube Escape Livre, Luís Celínio, citado na nota, “este é um momento muito triste”, sendo ainda “incompreensível que se autorizem eventos similares com público” noutros concelhos, sendo aplicado um critério diferente em Pinhel.

A Câmara Municipal, por sua vez, alega que “a situação epidemiológica se encontra estabilizada” no concelho, onde no momento não existe “qualquer caso ativo” da covid-19.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.