Fotógrafo documental José Sarmento Matos vence prémio Estação Imagem 2020 Coimbra

Posted by

O fotógrafo documental José Sarmento Matos venceu o prémio Estação Imagem 2020 Coimbra, com um trabalho sobre o regresso a Portugal de uma família luso-venezuelana, anunciou ontem a organização.

A reportagem vencedora, intitulada “Abandonando o Sonho Venezuelano”, foi feita na Venezuela e em Portugal, “documentando os dois lados da vida da mesma família”, assinala a organização do prémio de fotografia.

“Fugiram de uma Venezuela em profunda crise humanitária, largando entes queridos, vidas inteiras, o sentimento de pertença e a identidade no recomeço de uma nova vida”, acrescenta.

O vencedor do prémio Estação Imagem 2020 Coimbra tem 31 anos, reside entre Londres e Lisboa e é fotógrafo ‘freelancer’ sem carteira profissional. Em 2015, José Sarmento Matos foi considerado pela agência Magnum Photos como um dos melhores 30 fotógrafos mundiais com menos de 30 anos.

Leonel de Castro, fotojornalista do Jornal de Notícias (JN) e vencedor do prémio Estação Imagem Coimbra 2019, arrebatou, pelo segundo ano consecutivo, o galardão Fotografia do Ano, com uma imagem intitulada “Voo de Esperança”, que retrata uma rapariga moçambicana, em pé, num baloiço, na cidade da Beira, atingida pelo ciclone Idai.

“Uma menina adolescente voa em direção aos céus por entre as árvores destruídas. Numa das principais artérias da cidade da Beira, Moçambique, depois de a província de Sofala ter sido dizimada com a passagem do ciclone Idai”, refere a organização.

Uma menção honrosa na mesma categoria foi atribuída a Ana Brígida por “Sem Luz”, um retrato do bairro da Torre, em Camarate, Lisboa, junto ao aeroporto Humberto Delgado, onde Flávia reside e acende velas dentro de casa, devido à falta de fornecimento de eletricidade.

Ana Brígida venceu também o prémio Arte e Espetáculos, com “Bulls”, um trabalho sobre a aprendizagem da arte de tourear entre os mais novos.

Na atual edição dos prémios Estação Imagem, a 11.ª e a terceira realizada em Coimbra, Leonel de Castro venceu igualmente o galardão da categoria Assuntos Contemporâneos, com a reportagem “Os Continuadores”, feita no orfanato municipal com o mesmo nome na cidade da Beira, também afetado pelo ciclone Idai e “ainda mais desvalido, a precisar de obras, equipamentos e alimentos”.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.