Feriado “especial” com recados e sem fugir a temas “quentes”

Penacova comemorou ontem o seu feriado municipal com uma cerimónia “especial”, no Parque Municipal “Ténis”, inaugurado na ocasião, com a presença da ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, que foi alvo de uma homenagem.
Humberto Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Penacova, falou em tempos que parecem de “ficção científica”. “Passamos na rua, vamos a lojas, entramos em restaurantes e há, para além de mascarados, tensão no ar”, justificou. “Se há um ano, nesta mesma comemoração, me dissessem que hoje estaríamos aqui nestas condições diria que andavam a ver muitos filmes”, referiu o autarca, para justificar que é “uma lição de vida, especialmente para a classe política: podemos e devemos desenvolver projetos, perspetivar políticas futuras, mas não devemos fazer promessas… Sabemos lá o que mais nos estará para acontecer”.
O edil realçou a resposta da sua comunidade na luta contra a covid-19, elogiando, por isso, a resposta de coordenação “ao nível sub regional”, referindo-se à Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC) e ao Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS), mas também a resposta local, sobretudo nas áreas da educação, ação social e proteção civil.
Em dia de inauguração, Humberto Oliveira destacou a importância da requalificação de um espaço que “tanto diz a tantas gerações de penacovenses” mas que só foi possível graças a fundos comunitários geridos pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) da Região Centro graças ao Plano de Ação de Regeneração Urbana (PARU).
E sobre os PARU e PEDU (Planos Estratégicos de Desenvolvimento Urbano) lembrou que Penacova tinha perspetivado três intervenções: “Primeiro esta que estamos a inaugurar, o Parque Municipal Ténis; em segundo lugar a requalificação do edifício do antigo tribunal no Largo Alberto Leitão; e em terceiro a requalificação do Parque Verde e do espaço onde organizamos as festas do município”. Mas, com as obras do parque municipal e “com a intervenção prevista para o antigo tribunal, com o objetivo de aí instalar um centro de artes, esgotamos a verba atribuída à PARU de Pencova”. Por isso, destacou, “para ainda ter a possibilidade da terceira intervenção necessitamos de um reforço de verba”.
Humberto Oliveira destacou a importância “fundamental” da regeneração dos espaços urbanos, frisando a “regeneração do espaço público central da sede do concelho e a construção de um parque de estacionamento”, mas lamentou não ter conseguido fazer as previstas obras nas outras duas vilas do concelho, Lorvão e São Pedro de Alva, por “falta de capacidade de investimento sem financiamento”.

Notícia completa na edição impressa de hoje

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.