Clima adverso “traiu os homens” e matou um bombeiro experiente

FOTO DR

À primeira vista, era um fogo fácil aquele que deflagrou no sábado, numa encosta da Serra da Lousã, junto a um acesso ao Trevim. Nada a que os bombeiros não estivessem habituados, ainda mais um operacional com quase 40 anos de serviço, como era José Augusto Fernandes. Mas tudo correu mal e o sub-chefe, de 55 anos, sucumbiu “às mãos” do fogo e do vento.
José Augusto Fernandes morreu e três bombeiros ficaram feridos. O Ministério da Administração Interna determinou a abertura de um inquérito às circunstâncias em que tudo aconteceu.
O fogo deflagrou às 18H26 (ver cronologia) numa zona muito acidentada, perto do turístico baloiço de Trevim. As chamas terão sido provocadas pela trovoada.
Segundo disse ao DIÁRIO AS BEIRAS Fernando Jorge, comandante dos Bombeiros Voluntários de Miranda do Corvo, a equipa do chefe Fernandes “estava na Serra da Lousã, em vigilância, porque estavam previstas condições adversas”. Assim que surgiu a primeira situação partiram para a frente de combate.

Notícia completa nas edições impressa e digital

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.