Cantanhede critica falta de apoio do Governo à saúde do concelho

“A pandemia tem sido um grande teste à capacidade de resiliência da nossa comunidade”, considera Helena Teodósio, presidente da Câmara Municipal de Cantanhede, em declarações proferidas durante as comemorações do Feriado Municipal no passado sábado.

Destacou, por isso, as ações do município, que “tudo tem sido feito para mitigar a propagação do coronavírus”, tanto na prevenção e sensibilização, como na implementação de medidas “destinadas a diluir tanto quanto possível o impacto social e económico deste flagelo de proporções infelizmente ainda imprevisíveis”.

“Incompreensivelmente, também o Ministério da Saúde tem sido indiferente às nossas insistentes reivindicações relativamente ao Centro de Reabilitação da Região Centro-Rovisco Pais e Hospital Arcebispo João Crisóstomo”, sublinhou.

A autarca mostrou-se triste, porque a cerimónia não se realizou, como habitualmente, durante a Expofacic, cuja suspensão este ano fez perder “a grande oportunidade de, mais uma vez, darmos visibilidade ao concelho e à sua capacidade de realização”.
Segundo a autarca, “o município tem nesta altura em curso, porventura, o maior número de obras de sempre, entre as quais têm expressão particular as executadas no âmbito do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano”.

Toda a informação na edição impressa e digital de hoje, 27 de julho, do DIÁRIO AS BEIRAS

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.