Ordem elogia segurança do IPO e pede aos doentes para não faltarem às consultas

Posted by

FOTO DB/PEDRO RAMOS

A Ordem dos Médicos do Centro apelou ontem aos doentes que regressem às consultas e tratamentos no Instituto Português de Oncologia (IPO) de Coimbra, afirmando que esta unidade “é um hospital seguro”.
O IPO de Coimbra “desenvolveu todos os esforços, todos os procedimentos, em linha com as diretrizes da Direção Geral de Saúde para proteger os doentes e os profissionais face à pandemia de covid-19 e manter a atividade”, afirmou o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM), Carlos Cortes, ontem, após uma visita à unidade hospitalar e uma reunião com responsáveis do IPO de Coimbra, nomeadamente com a presidente da administração, Maria Margarida Ornelas, e diretora clínica, Ana Pais.
Nesta área hospitalar, “é muito importante manter a atividade, pois os doentes oncológicos não podem deixar de ter os seus tratamentos”, acrescentou o médico, admitindo que, para isso, a administração do hospital adotou “medidas muito acertadas e corajosas”.

Doentes faltaram com receio da covid-19
O IPO de Coimbra realiza “mais de 40 mil consultas por ano”, referiu Carlos Cortes. Desde o início da pandemia, realçou o dirigente da Ordem dos Médicos do Centro, efetuou menos consultas, porque, em média, “um em cada cinco doentes faltou, por recearem ser infetados pelo novo coronavírus”.
“O IPO de Coimbra novamente está a fazer um esforço muito grande recuperar as consultas e tratamentos” que foram adiados, e “a atividade cirúrgica está a estabilizar ao nível dos 100%, como antes da crise provocado pela pandemia de covid-19”, frisou Carlos Cortes. Nesta “fase de retoma”, as consultas adiadas “já foram feitas ou estão agendadas”, acrescentou o médico.

Notícia completa nas edições impressa e digital

4 Comments

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.