Nova Câmara de Comércio luso-chinesa quer ajudar PME a entrar no mercado chinês

Posted by

FOTO DB/PEDRO RAMOS

As pequenas e médias empresas (PME) portuguesas que pretendam exportar para a China passam a dispor de “um parceiro privilegiado” em território chinês, anunciou hoje Y Ping Chow, presidente da Câmara de Comércio Portugal-China, PME (CCPC-PME).

“Vamos constituir uma empresa, na China, para ajudar as PME portuguesas a entrar no mercado”, disse à Lusa Y Ping Chow, em Condeixa (Coimbra), após a cerimónia de tomada de posse dos corpos sociais da recém-constituída Câmara de Comércio.

Chow garante que o trabalho da Câmara de Comércio será totalmente orientado para as PME, até porque as grandes empresas têm outros recursos para entrar no vasto mercado chinês. Reconhece que a balança comercial está desequilibrada para o lado chinês, mas acredita que as PME portuguesas têm capacidade para singrar na China, sobretudo na área tecnológica

“Agora vamos pedir apoio político para o nosso trabalho. Não vamos pedir dinheiro, até porque somos uma associação sem fins lucrativos, mas vamos pedir aos políticos que nos apoiem”, avisa Y Ping Chow.

Com sede na vila de Condeixa-a-Nova, a nova estrutura vai dispor de delegações em Lisboa e Porto e nas províncias chinesas de Henan, Hainan e Shangdong.

O Conselho Executivo da nova Câmara, que tomou posse hoje, é presidido por Y Ping Chow (presidente da Liga dos Chineses em Portugal e representante da Comunidade Chinesa no Alto Comissariado da Migração) e o Conselho Estratégico por Bian Fang (CEO do Bison Bank, entidade financeira de capital chinês que opera em Portugal).

Nas estruturas da organização constam nomes como Jorge Costa Oliveira (ex-secretário de Estado da Internacionalização), Jorge Portugal (ex-conselheiro do Presidente da República), António Gameiro (deputado do PS), Afonso Camões (administrador do grupo Global Media), Telmo Pinto (diretor executivo da Comunidade de Tâmega e Sousa), Júlio Pereira (juiz-conselheiro, ex-diretor do SIS), José Cesário (deputado do PSD), Vitalino Canas (advogado e ex-deputado do PS), Montalvão Machado (advogado e ex-secretário de Estado do PSD), Carlos Pinto (empresário e ex-autarca da Covilhã).

Em maio, a CCPC-PME adiantou que está já a trabalhar na criação de fundo de investimento para os setores agroalimentar e do turismo, com um valor inicial de 10 milhões de euros, mas que futuramente pode chegar aos 30 milhões de euros.

A sua criação está, no entanto, dependente da autorização do Banco de Portugal, mas, “se tudo correr dentro do previsto”, o fundo estará constituído até ao final do ano.

Chow explica que Condeixa foi o local escolhido para receber a Câmara devido à sua localização, fora dos grandes centros urbanos, mas perto da principal autoestrada do país, mas sobretudo devido ao apoio, desde a primeira hora, do presidente deste município, Nuno Moita.

“A escolha de Condeixa para sede desta importante organização vinha sendo dialogada entre a Câmara Municipal e os líderes da CCPC-PME, tendo contribuído para a decisão a localização central da vila no todo nacional e as condições proporcionadas para o seu funcionamento”, confirmou a autarquia do distrito de Coimbra.

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.